Rússia descarta a criação de uma Opep do gás em Doha

A Rússia descartou nesta sexta-feira a fundação de uma Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) do gás durante a cúpula dos principais exportadores deste hidrocarboneto, que será realizada na segunda e terça-feira em Doha, capital do Catar. "Em Doha, não se assinará nenhum acordo para a criação de um cartel que regule os preços do gás", afirmou Viktor Khristenko, ministro da Energia da Rússia, citado pelas agências de notícias russas. Khristenko, que representará em Doha os interesses da Rússia - maior exportador mundial de gás -, acrescentou que antes de fundar um organismo dessa natureza é preciso se preparar e assinar um memorando. Fontes diplomáticas árabes anunciaram em meados de março à imprensa russa que os principais exportadores de gás se propunham criar uma Opep do gás em Doha. Segundo tais informações, a nova organização, à imagem e semelhança da Opep, seria criada por Rússia, Irã, Venezuela, Argélia e Catar. A cerimônia deveria ocorrer durante a reunião do Fórum de Países Exportadores de Gás, a organização que garante a estabilidade do abastecimento desde sua criação, em 2001. Os membros desse fórum - Rússia, Irã, Argélia, Indonésia, Brunei, Turcomenistão, Malásia, Nigéria, Catar e Omã - possuem 70% das reservas mundiais de gás e controlam 42% da comercialização deste hidrocarboneto ao ano em todo o mundo. O líder supremo da República Islâmica do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, propôs em janeiro ao secretário do Conselho de Segurança da Rússia, Igor Ivanov, a criação de uma nova organização para coordenar os preços do gás no mercado internacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.