Rússia interrompe importação de carne da UE, diz fonte

O Serviço Veterinário do governo da Rússia interrompeu ontem a emissão de certificados de importação para carne de qualquer tipo proveniente da União Européia (UE), informou uma fonte do serviço à Dow Jones. A medida segue o fracasso das negociações entre ambas as partes para padronizar os certificados veterinários em toda a UE. Cada país europeu tem um certificado diferente.Esperava-se um acordo para 1º de maio, data que foi prorrogada para 1º de junho. O acordo, entretanto, não aconteceu. Segundo a fonte, o certificado negociado estava praticamente pronto para assinatura de ambas as partes. Ainda de acordo com o oficial do Serviço Veterinário, a Rússia não aceitará os atuais certificados emitidos pelos países europeus.Alguns representantes europeus, entretanto, negam qualquer problema com relação ao documento. "Até onde sabemos não há nada oficial sobre isso. Recebemos uma notificação do Ministério de Agricultura britânico em 28 de maio dizendo que a Rússia continuará a respeitar os certificados bilaterais até que uma solução seja encontrada", disse Peter Hardwick, representante da Meat and Livestock Commission, do Reino Unido, em Bruxelas. "Do que temos ouvido de outros membros (da UE), há problemas de comunicação em pontos de fronteira com a Rússia, mas nada que tenha tido efeito (no comércio bilateral)", afirmou Hardwick.A Rússia estabeleceu uma cota de 791.100 toneladas para a importação de carne da UE. Desse total, 205 mil t correspondem a carne de aves, 227.300 t a carne suína, 331.800 t de carne bovina congelada e 27 mil t de carne bovina fresca.No caso da suspensão das importações, Alemanha e Irlanda seriam mais prejudicadas no segmento de carne bovina e a Dinamarca teria prejuízos no segmento de suínos.Hardwick considera que o problema todo está na expansão da UE para 25 países a partir de 1 de maio, porque a partir dessa data as relações da Rússia com os ex-comunistas passaram a não ter mais efeito. "A Rússia teve acesso a esses mercados no passado, mas o perdeu e agora deve estar de acordo com as regras da UE. A Rússia está dizendo que se a UE foi expandida então é preciso que haja uma padronização dos certificados veterinários e não acordos bilaterais com dada país. Mas essa é uma questão que precisa ser negociada por Bruxelas (a sede da UE)", considera Hardwick.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.