finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Rússia libera volume recorde de recursos aos bancos

O Banco Central da Rússia ampliou hoje o montante de recursos que liberou para o sistema financeiro. O BC russo colocou um montante recorde de 192,2 bilhões de rubros (US$ 7,46 bilhões) no sistema financeiro por meio de duas operações de recompra, superando a injeção recorde de 169,7 bilhões de rubros (US$ 6,6 bilhões) feita no sistema bancário ontem. A semana foi a mais turbulenta no ano para o rubro, mas analistas prevêem novos solavancos para a próxima semana, quando o pagamento de US$ 7 bilhões em impostos do final do mês deverá deixar a liquidez no sistema bancário russo ainda mais comprometida.Esses pagamentos, associados à redução de posições em rubro por parte de bancos estrangeiros, forçaram o BC a emprestar recursos durante oito dias consecutivos aos bancos comerciais. Os temores econômicos que afetaram os mercados internacionais se infiltraram no mercado russo. "A Rússia não é mais a União Soviética", comentou o chefe de negócios com câmbio do Banco de Moscou, Aleksei Lisovski. "Estamos em uma economia global, por isso o que acontece nos mercados globais têm nos afetado", completou.O vice-presidente do Banco Central, Konstantin Korishchenko, informou na quarta-feira que US$ 10 bilhões deixaram o país nas primeiras semanas do mês. O êxodo diminuiu no final da semana, mas a situação no mercado à vista seguia instável.Na quarta-feira, o BC informou que as reservas caíram US$ 5,5 bilhões esta semana para US$ 414,7 bilhões, maior declínio este ano, depois de o BC ser forçado a vender US$ 4 bilhões para conter uma onda de vendas do rubro. Em um relatório divulgado hoje, a agência de classificação de riscos Fitch avaliou que os bancos russos seguem suscetíveis a questões de liquidez e confiança, a despeito das tendências positivas no sistema, observando que há segmentos mais bem posicionados do que outros para absorver um cenário de estresse. As informações são da Dow Jones.

PATRICIA LARA, Agencia Estado

24 de agosto de 2007 | 14h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.