Rússia pede dados detalhados sobre carne brasileira

O governo da Rússia encaminhou ao Ministério da Agricultura documento com sete páginas solicitando informações detalhadas sobre o sistema brasileiro de defesa sanitária. O questionário foi encaminhado pelo Serviço Veterinário e Fitossanitário da República da Rússia na semana passada à Embaixada do Brasil em Moscou, informou interlocutor do ministério. O documento foi traduzido no final de semana e chegou ontem a Brasília, endereçado ao Ministério da Agricultura. A Rússia suspendeu as compras de carne do Brasil no dia 21 de setembro, depois que o governo confirmou um foco de febre aftosa no rebanho bovino de Careiro da Várzea, no Amazonas, região que não é exportadora de carne. Um missão do ministério esteve em Moscou, mas a tentativa de rever o embargo não surtiu efeito.A Rússia pede informações detalhadas sobre todo o sistema de defesa sanitária animal do País. Moscou quer dados aprofundados sobre o sistema de produção de todos os tipos de carne, inclusive frango e peixe, que não são suscetíveis à febre aftosa. As questões estão divididas em 12 tópicos, que são subdivididos em inúmeros itens, distribuídos em sete páginas.No questionário, os russos pedem informações sobre as fronteiras do País (número de postos de fronteira); limites de controle de todos as doenças; sistema de rodovias e ferrovias; órgãos veterinários municipais, estaduais e federais; e regras e leis que tratam das questões sanitárias. Para esse último item, Moscou quer cópias de toda a legislação. Eles também querem informações sobre o rebanho bovino do País nos últimos três anos. Em anexo, também deve ser remetido a Moscou um mapa detalhado do País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.