Rússia quer Brasil no lugar dos EUA no fornecimento de frango

Agricultores europeus, no entanto, acusam brasileiros de 'oportunistas' e, em meio à crise, podem levar episódio à OMC

Lisandra Paraguassu , Agência Estado

08 de agosto de 2014 | 13h05

BRASÍLIA - Em reunião na tarde de hoje em Moscou, o governo russo informou a representantes brasileiros que pretende que o Brasil ocupe o lugar dos Estados Unidos no fornecimento de frango ao país, uma importação que chega a 200 mil toneladas do produto. A Rússia já pretende aumentar a importação de carnes brasileiras - além do frango, suínos e bovinos - a partir de setembro. 

Conforme divulgou o Estado, agricultores europeus acusam os exportadores brasileiros de "oportunistas" diante da crise na Rússia

Durante o encontro,  o governo russo também informou que planeja comprar frutas e legumes brasileiros, a depender da disponibilidade dos produtores nacionais. Ainda não se falou em números, mas o Ministério da Agricultura deve começar um levantamento sobre a capacidade de fornecimento o agronegócio nacional.

 Também foi acertada a participação de uma missão brasileira na World Food 2014, uma feira internacional de alimentos que acontece em Moscou entre 15 e 18 de setembro. A intenção é apresentar produtos nacionais que possam ocupar o espaço deixado pelo boicote russo a importações dos Estados Unidos, União Europeia e Austrália. 

A Rússia decidiu bloquear a importação de carnes, frutas, legumes, leites e derivados e nozes como resposta às sanções econômicas impostas por americanos, europeus e australianos pela ação russa na Ucrânia. O bloqueio entrou em vigor este mês e vale por um ano, ou até que as sanções sejam revistas. 

O Brasil já é um dos principais fornecedores de carne para a Rússia e deve aumentar sua participação com a ampliação da concessão de certificados sanitários a frigoríficos nacionais, definida essa semana pelo governo russo. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.