Stephane Mahe|Reuters
Stephane Mahe|Reuters

Rússia vai retirar restrições a importações de carnes de nove fornecedores do Brasil

Restrições estavam vigentes desde 2017, supostamente em razão do uso de ração com o aditivo ractopamina

Nayara Figueiredo e Gustavo Porto, Reuters

31 Outubro 2018 | 14h57

MOSCOU- O órgão regulador de segurança na agricultura da Rússia disse nesta quarta-feira, 31, que permitirá importações de carnes suína e bovina de nove fornecedores do Brasil a partir de 1º de novembro.

Repercutindo a decisão, diretamente de Dubai, nos Emirados Árabes, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, agradeceu, em vídeo, ao presidente Michel Temer por ter "se empenhado pessoalmente e a todos os produtores e frigoríficos", além de seu time no ministério e à equipe diplomática no mercado russo. "É difícil abrir mercado, fácil perder mercado, muito mais difícil reconquistar os mercados. Então, estamos todos muito felizes hoje", afirmou. Maggi segue em missão rumo à China, onde participará de evento em Xangai

O embargo russo se deu em 2017 por causa da presença de ractopamina em produtos de origem animal oriundos de quatro plantas frigoríficas do Brasil. A ractopamina, que não causa danos à saúde, é uma substância permitida no Brasil, mas proibida na Rússia.

Antes de partir para a missão diplomática, na semana passada, Maggi reafirmou ao Broadcast Agro que não estava em débito com as exigências pedidas pelo governo russo e, portanto, não era possível prever se as liberações para retomada dos embarques poderiam ocorrer neste ano ou no próximo. "Podem acontecer a qualquer momento", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.