Francois Lenoir/Reuters
Francois Lenoir/Reuters

SABMiller rejeita a oferta de compra da AB InBev de US$ 104 bi

A cervejaria britânica considerou a oferta feita pela dona da Ambev muito baixa e disse que a concorrente está aproveitando o mau momento da ação da rival para tirar vantagem

O Estado de S.Paulo

07 de outubro de 2015 | 02h01

A cervejaria SABMiller rejeitou a oferta informal de compra feita pela gigante Anheuser-Busch InBev (AB InBev) por considerá-la muito baixa. A AB InBev fez uma oferta de até 68,24 bilhões de libras (US$ 104,1 bilhões).

A AB InBev já havia anunciado que faria uma oferta pela SABMiller, mas valores ainda não haviam sido divulgados. O mercado projetava que a oferta seria de US$ 106 bilhões.

A oferta agora divulgada foi considerada baixa. A SABMiller afirmou em comunicado que a mais recente oferta realizada para sua compra, feita pela AB Inbev, "ainda subvaloriza significativamente a SABMiller". De acordo com a companhia que foi alvo da oferta, a AB InBev aproveitou o momento para tirar vantagem do preço recentemente mais fraco da ação da rival e a oferta discrimina alguns dos acionistas, tampouco dando garantias sobre entraves regulatórios significativos nos Estados Unidos e na China.

Às 7h05 (de Brasília), a ação da SABMiller subia 1,55% em Londres, enquanto a da AB Inbev avançava 2,54% na Bolsa de Bruxelas. 

Oferta. Em comunicado, a AB InBev informou que propôs pagar 42,15 libras por ação da SABMiller, com uma proposta alternativa de preço para os maiores acionistas da cervejaria, e revelou que essa é a terceira oferta já apresentada à empresa. A proposta alternativa foi feita ao Altria Group e à família Santo Domingo, que detêm cerca de 41% das ações da SABMiller.

Segundo a AB InBev, a SABMiller rejeitou duas propostas anteriores. A AB InBev afirmou que realizou duas propostas anteriores por escrito, em privado, para a compra da SABMiller, uma de 38 libras por ação e outra, de 40 libras por ação, ambas em dinheiro. Em comunicado, a AB InBev se disse desapontada pelo fato de o conselho da SABMiller ter rejeitado as duas propostas anteriores "sem qualquer engajamento significativo". Nessa terceira oferta, a Ab Inbev propôs pagar 42,15 libras por ação, com uma proposta alternativa voltada para agradar os maiores acionistas da SABMiller. 

Em comunicado à parte, o maior acionista da SABMiller disse estar satisfeito com a oferta mais recente, aumentando a pressão sobre os executivos da cervejaria.

Pelas regras de competição do Reino Unido, a AB InBev tem até o próximo dia 14 para anunciar a "firme intenção" de fazer uma oferta pela SABMiller e especificar os detalhes da proposta. No comunicado de hoje, a AB InBev foi cautelosa ao afirmar que a proposta ainda não é formal.

Uma eventual fusão da AB InBev com a SABMiller uniria tradicionais marcas de cerveja, como Budweiser, Corona, Stella Artois, Pilsner Urquell, Grolsch e Peroni, e daria à empresa resultante uma forte presença nos EUA, China, Europa, África e América Latina. Juntas, a AB InBev e a SABMiller respondem por mais de 30% dos volumes de cerveja vendidos mundialmente. A AB InBev tem entre os seus acionistas os empresários brasileiros Jorge Paulo Lemann, Carlos Alberto Sicupira e Marcel Telles.

Resultado. A SABMiller informou ontem que sua receita caiu 9% no segundo trimestre fiscal (encerrado em setembro), na comparação anual, devido ao enfraquecimento das moedas emergentes no período.

Desconsiderando-se variações cambiais, as vendas da fabricante de cerveja anglo-sul-africana tiveram alta de 6% na mesma comparação, graças a um avanço de 9% na América Latina e ganho de 11% na África. No primeiro semestre fiscal, as vendas subiram 4%, refletindo o resultado trimestral. / Dow Jones Newswires

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.