Sadia anuncia investimento de R$ 650 milhões em SC

Projeto na cidade de Mafra inclui abatedouro de suínos, fábrica de ração e granjas de produção integrada

O Estadao de S.Paulo

27 de junho de 2008 | 00h00

A Sadia anunciou ontem a abertura de uma nova unidade de produção em Mafra (SC), cidade a 310 quilômetros de Florianópolis. O projeto, que receberá investimentos de R$ 650 milhões até 2010, inclui a construção de um abatedouro de suínos, uma fábrica de rações e granjas de produção integrada, com foco no mercado externo.O protocolo de intenções foi assinado ontem pelo diretor-presidente da companhia, Gilberto Tomazoni, pelo governador de Santa Catarina, Luiz Henrique da Silveira, e pelo prefeito de Mafra, João Alfredo Herbst.O projeto faz parte do pacote de investimentos anunciado pela companhia em 2006. O objetivo é dobrar seu faturamento até 2011. Para isso, R$ 2 bilhões estão sendo aplicados na expansão da capacidade produtiva no Brasil e no exterior, ampliação das unidades existentes e construção de novas plantas.A fábrica de Mafra vai gerar uma receita adicional de R$ 500 milhões à Sadia, quando estiver operando à plena capacidade.''Estamos investindo em projetos inovadores com o intuito de manter a companhia na vanguarda da competitividade e de crescer'', afirmou Tomazoni. Com 35 mil metros quadrados de área construída, a nova unidade terá capacidade para abater 5 mil suínos por dia. Já a fábrica de rações deverá produzir 60 mil toneladas por mês.A previsão é a de que 90% da produção do novo abatedouro seja destinada ao mercado externo. A decisão de instalar a unidade em Santa Catarina levou em conta a decisão do Comitê Internacional da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), que, no ano passado, reconheceu Santa Catarina como zona livre de febre aftosa sem vacinação. Esse status era até então inédito no Brasil e facilita a exportação da carne suína produzida no Estado.A cidade também foi escolhida por sua proximidade com os portos de Paranaguá (PR), Itajaí (SC) e São Francisco do Sul (SC) e por sua infra-estrutura de produção. A unidade será a terceira em Santa Catarina, onde a Sadia foi criada.De acordo com Tomazoni, a nova unidade agroindustrial da Sadia irá utilizar processos tecnológicos avançados e conceitos de sustentabilidade. ''Nosso projeto não só atenderá como também ficará acima das diretivas internacionais que tratam dos padrões do sistema de integração e do abatedouro'', afirmou o executivo.Segundo a empresa, serão criados 1,2 mil novos postos de trabalho diretos e 4,5 mil indiretos. O projeto prevê a implantação de um sistema de integração com 540 suinocultores, entre unidades produtoras de leitão e unidades de terminação. Do total investido no projeto, R$ 400 milhões vêm do caixa da empresa e R$ 250 milhões de terceiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.