Sadia vende fábrica na Rússia por US$ 77,5 milhões

Companhia diz que venda não afeta sua estratégia de vendas para o país, onde sua marca é bastante forte

Mariana Barbosa, O Estadao de S.Paulo

06 de junho de 2009 | 00h00

A Sadia vendeu sua fábrica na Rússia por US$ 77,5 milhões para o grupo Miratorg, seu único sócio no negócio. A companhia brasileira, que detinha 60% da fábrica localizada em Kaliningrado, decidiu vender a planta no início do ano, numa tentativa de recompor seu caixa depois das perdas de mais de R$ 700 milhões com derivativos cambiais. O negócio era para ter sido fechado no início de maio, mas as negociações foram adiadas por causa da conclusão das negociações para a criação da BR Foods, a associação entre Perdigão e Sadia. No dia do anúncio da BR Foods, o presidente do Conselho da Sadia, Luiz Fernando Furlan, declarou que a decisão de vender a fábrica poderia ser revista no contexto da nova empresa. O investimento da Sadia e da Miratorg foi anunciado em 2006 e a fábrica começou a ser construída em 2007. Na época, o investimento total anunciado foi de US$ 140 milhões. Mas o projeto, que conta com financiamento do Internacional Finance Corporation, braço financeiro do Banco Mundial, teve uma série de atrasos e contratempos. Foi apenas no início deste ano que a fábrica entrou em produção comercial. Especializada em pratos prontos à base de proteínas, a fábrica tem entre seus principais clientes o McDonald?s, além de fabricar produtos com a marca Sadia para venda em supermercados.Em comunicado divulgado ontem à CVM, a Sadia informou que a venda da fábrica "não altera a estratégia mercadológica da Sadia no mercado da Rússia". A Sadia é uma marca bastante forte no país e detém 50% do mercado de comidas prontas à base de porco importadas, e 40% do de frangos, de acordo com o portal de agronegócio russo Meat Rússia. A expectativa é de que a fábrica de Kaliningrado - um enclave russo situado entre a Polônia e a Lituânia, à beira do Mar Báltico - continue produzindo produtos com a marca Sadia, sob licença. O grupo Miratorg é também o distribuidor local dos produtos exportados pela Sadia.INTERNACIONALIZAÇÃOA fábrica de Kaliningrado foi o primeiro grande passo na estratégia de internacionalização da Sadia. Quando foi anunciado, o setor vivia a crise provocada pela gripe aviária e a Sadia tinha acabado de ver sua oferta hostil à então rival Perdigão ser rejeitada. A estratégia de internacionalização previa ainda a construção de pelo menos mais duas fábricas no exterior, sendo uma nos Emirados Árabes - projeto que hoje está suspenso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.