coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Safra de 100 milhões de toneladas só em 2003

O governo Fernando Henrique Cardoso encerrará o mandato sem alcançar a meta de colher 100 milhões de toneladas de grãos, mas a agricultura brasileira continuará crescendo e o seu sucessor pode atingir a marca já em 2003. Segundo os dados da safra agrícola de 2002, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a safra 2002 ficará em 99,34 milhões de toneladas, com aumento de 0,81% sobre os 98,54 milhões do ano passado. Segundo o IBGE, a meta só não foi alcançada devido à quebra na segunda safra de milho na região Sul, por problemas climáticos. O chefe do Departamento de Agropecuária do IBGE, Carlos Lauria, contudo, observou que o principal fator para a expansão agrícola nos últimos anos tem sido a tecnologia, o que permite prever mais ganhos na produção nos próximos anos. Segundo Lauria, nos últimos dez anos a área plantada aumentou 7% enquanto a produção total subiu 80,6%. "A expansão foi basicamente por causa da tecnologia, com mais máquinas no campo, melhores insumos e sementes adaptadas", afirmou ele. Outro fator favorável para a safra agrícola é que, além de mais tecnologia, tem havido expansão na área plantada na região do Cerrado, especialmente com o cultivo da soja. Essa cultura já chegou ao sul do Piauí e ao Maranhão, após ter se consolidado no oeste da Bahia, graças às pesquisas desenvolvidas pela Empresa Brasileira de Pesquisas em Agropecuária (Embrapa). Lauria observou também que a Embrapa tem desenvolvido novas variedades de produtos adaptadas a essas condições climáticas.ProdutividadeO técnico do IBGE admite que a produtividade deste ano piorou em relação à safra passada, basicamente por questões climáticas. A produtividade deste ano está estimada em 2.512 quilos por hectare, em queda de 6,7% em relação aos 2.692 kg/ha de 2001. Além da tecnologia, a expansão da agricultura tem sido impulsionada pelas exportações, especialmente pelo avanço da soja. Da produção agrícola de 99,34 milhões de toneladas deste ano, por exemplo, a soja responde por 42,2% do total, com produção de 41,9 milhões de toneladas.Isso significa aumento de 11,25% em relação aos 37,7 milhões de toneladas do ano passado, quando a participação da soja no total era de 38,2%. Lauria observou que a soja se beneficiou do avanço do câmbio, com a forte valorização do dólar norte-americano em relação ao real no ano passado. "O agricultor sabia que a soja iria render mais devido ao aumento do dólar e porque é um produto de fácil comercialização", comentou. O segundo produto mais importante da safra de grãos é o milho, que registrou recuo de 15,73% na primeira safra deste ano em relação à safra colhida em 2001, totalizando 29,6 milhões de toneladas. Os produtos mais comuns na mesa do brasileiro, como o arroz e o feijão, têm registrado crescimento. A produção de arroz cresceu 2,53% (10,45 milhões de toneladas), a primeira safra de feijão aumentou 41,25% (1,7 milhão de toneladas), a segunda subiu 31,25% (1,2 milhão de tonelada), mas a terceira safra registrou queda de 17,4% (263 mil toneladas). Lauria lembrou que o feijão é uma cultura de colheita rápida (três meses) e os agricultores brasileiros estão conseguindo colher o produto três vezes no ano.

Agencia Estado,

29 de maio de 2002 | 13h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.