Safra de 2001 produziu 98,5 milhões de toneladas

O IBGE divulgou o número fechado da safra 2001, que atingiu 98,553 milhões de toneladas, 18,38% superior a safra anterior (83,250 milhões de toneladas). O chefe do Departamento de Agropecuária, Carlos Alberto Lauria, disse que o milho 2ª safra definirá se a safra 2002 atingirá 100 milhões de toneladas, como já previsto pelo governo. Segundo ele, o produto será o "regulador" da safra.O plantio dessa cultura tem início em janeiro/fevereiro e a colheita ocorre em julho. A maior parte da produção (46%) está concentrada no Paraná, e o desempenho da safra dependerá basicamente das condições climáticas, de acordo com Lauria.A estimativa do IBGE para a produção total de algodão herbáceo, arroz em casca, feijão 1ª safra, milho 1ª safra e soja em grão é de 83,8 milhões de toneladas em 2002, ante 84,2 milhões de toneladas na safra 2001. As quedas entre um ano e outro deverão ocorrer devido às reduções na produção do algodão (-15%) e no milho 1ª safra (-15,3%), como resultado dos baixos preços desses produtos no mercado.Os cinco produtos com colheita já estimada pelo IBGE respondem, juntos, por 86% da produção total nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas. A área pesquisada até o momento abrange as regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste e os Estados de Rondônia, Bahia, Maranhão e Piauí, regiões que abrigam 90% da safra do País. O instituto divulgará a estimativa total de produção para a safra 2002 em fevereiro.O terceiro levantamento de área plantada para o ano agrícola 2002, divulgado pelo IBGE, aponta um aumento de 2,25% sobre a cultivada em 2001 e soma 32,35 milhões de hectares. O instituto fez também a estimativa de área e produção para alguns produtos, sendo que a soja mantém a tendência de expansão com colheita esperada de 42,126 milhões de toneladas (12% maior que no ano passado). Segundo o IBGE, haverá crescimento da produção do milho 1ª safra, que deverá crescer 15,34%, totalizando 28,714 milhões de toneladas.No que diz respeito à safra 2001, a produção de trigo foi um dos principais destaques, com aumento de 96% em relação ao ano anterior, atingindo 3,257 milhões de toneladas. Segundo o IBGE, a expansão ocorreu devido ao desempenho da região Sul, que é responsável por cerca de 94% da produção nacional, que contou no ano passado com condições climáticas mais favoráveis. Houve aumento significativo também na safra de algodão, que cresceu 31,85%, com colheita de 2,640 milhões de toneladas.Nas demais culturas, os desempenhos foram os seguintes: soja (37,687 milhões de toneladas, aumento de 15,3%), milho primeira safra (35,123 milhões de toneladas, aumento de 25,35%); milho safrinha (6,334 milhões de toneladas, aumento de 64,13%) e feijão 3ª terceira safra (318,3 mil toneladas, aumento de 34,13%).Foram registradas variações negativas ante a safra anterior para o arroz (10,195 milhões de toneladas, queda de 8,07%), feijão primeira safra (1,183 milhão de toneladas, queda de 30,78%) e feijão 2ª safra (941 mil toneladas, queda de 13,74%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.