Safra recorde favorece reajuste da gasolina

A previsão de um novo recorde da produção agrícola do País já influi nos preços e no comportamento da inflação. Nesse cenário, o governo dispõe de uma brecha para um possível reajuste dos combustíveis até o final do ano. A análise é do professor de Economia da Universidade de São Paulo (USP) Fernando Homem de Mello. O índice zero de inflação na cidade de São Paulo, registrado em outubro pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), é interpretado pelo professor da USP como reflexo desse fato de um possível recorde na safra agrícola. Essa previsão positiva cria espaço para que o governo acerte os preços administrados que eventualmente estejam atrasados. "É bem provável que dentro de algumas semanas o governo decida reajustar os preços dos combustíveis." Assim, o impacto da alta da gasolina sobre a inflação seria neutralizado, disse Mello. Isso não aconteceu em meados do ano, quando, logo após uma forte geada na região Centro-Sul, o governo decidiu elevar os preços dos derivados do petróleo. "Faltou naquela ocasião uma boa assessoria agrícola e a inflação disparou."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.