coluna

Louise Barsi explica como viver de dividendos seguindo o Jeito Barsi de investir

Safra recorde no mundo não evita preço alto no País

O mundo deverá registrar neste ano uma safra recorde de grãos, com expressivo aumento também nas importações e exportações, no consumo total e nos estoques finais, previu o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (Usda), com base no Relatório de Estimativas Mundiais de Oferta e Demanda Agrícola relativo a março. No Brasil, a safra de grãos também será recorde, mas os problemas climáticos reduziram de 90 milhões para 88,5 milhões de toneladas a previsão da produção de soja, provocando oscilação nos preços domésticos. Há um descompasso entre a oferta global em alta e os preços internos, ajudando a influenciar o Índice Geral de Preços-Disponibilidade Interna (IGP-DI), que subiu 0,85% em fevereiro.

O Estado de S.Paulo

12 de março de 2014 | 02h07

Entre fevereiro e março, a produção global de milho foi revista de 966,63 milhões para 967,43 milhões de toneladas e os estoques deverão subir em proporção ligeiramente maior. A produção global de soja deverá cair de 287,69 milhões de toneladas, estimada em fevereiro, para 285,43 milhões, reestimados neste mês. A diminuição da safra no Brasil e no Paraguai é a maior responsável pelo recuo das estimativas.

O Brasil exportou US$ 29,6 bilhões de soja em grão e em farelo em 2013 - ou 12,2% das exportações totais -, o que confere à commodity uma participação importante na balança comercial. Os preços da soja caíram mais no mercado global (-6,3%, neste ano) do que no mercado interno (-1,84%, no primeiro bimestre). Ou seja, a seca dificultou uma queda mais expressiva das cotações da soja.

O risco climático, portanto, afeta não apenas os preços da energia elétrica, que alcançaram os maiores patamares históricos no País, mas também os preços da soja. O Brasil é o segundo produtor mundial do grão, abaixo apenas dos Estados Unidos - e segundo produtor por pequena margem, pois se previa que ocuparia o primeiro lugar, não fosse a estiagem.

Em razão do destaque do Brasil como produtor de grãos, a frustração da safra brasileira ajudará a manter "as cotações internacionais de grãos em patamares mais elevados nos próximos meses", segundo o boletim econômico diário do Bradesco, de ontem.

Os recordes na produção global de grãos, notadamente de soja, de milho e de trigo poderiam ser extremamente benéficos para evitar um aumento maior da inflação no Brasil. Mas as condições climáticas não estão ajudando.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.