Sai decisão judicial contra o "corralito"

O governo argentino enfrentou hoje a primeira sentença de inconstitucionalidade do decreto presidencial que suspende, por 120 dias, as decisões da Justiça contra o "corralito". A sentença foi da juíza Liliana Heiland, do juizado do Contencioso Administrativo, quem contrariou o decreto do presidente Eduardo Duhalde e ordenou a retirada do depósito de uma poupadora.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.