Sai hoje o pacto fiscal na Argentina

O presidente Eduardo Duhalde convocou para hoje, às 17 horas, os governadores das 24 províncias para assinar o novo pacto fiscal que muda o regime de co-participação. Uma lei que o governo considera o bre-alas da ajuda externa à Argentina e que permitirá a votação, amanhã, do orçamento de 2002. Os governadores deverão começar a chegar a Buenos Aires, pela manhã, para detalhar com seus ministros de Economia (secretários de Fazenda que na Argentina têm status de ministro) os últimos ajustes do acordo que deverão ser debatidos com o ministro de Economia, Jorge Remes Lenicov.Se tudo caminhar bem, à tarde, o presidente Eduardo Duhalde, o ministro do Interior, Rodolfo Gabrielli, Remes Lenicov, e o chefe de gabinete, Jorge Capitanich, assinarão o acordo que repartirá os impostos arrecadados em 60% para a União e 40% para as províncias. As províncias menores estão resistentes à esta porcentagem e todas elas querem a pesificação das dívidas em um a um, mas o governo já disse que será em um a 1,40. Os governadores também estão renitentes em relação à participação do imposto ao cheque que o governo federal teria oferecido somente 20% do mais rentável imposto. Eles querem repartir toda a arrecadação deste imposto.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.