Saiba como economizar no supermercado

O consumidor deve se preparar para novos aumentos no supermercado, devido à influência da alta do dólar nos preços internos. Ou seja, quanto maior for o valor da moeda norte-americana, mais cara será a fatura do supermercado, especialmente nos produtos importados ou com componentes importados. Mas há comportamentos no consumo que podem ajudar a suavizar o orçamento. A Fundação Procon-SP - órgão de defesa do consumidor ligado ao governo estadual - dá algumas dicas sobre como economizar. O primeiro passo e o mais importante é fazer uma lista com os itens de que realmente precisa, segundo Maria Cecília Thomazelli, assistente de direção do órgão. Do contrário, acaba comprando mais que o necessário. Também é importante pesquisar os preços em diversos estabelecimentos para saber em qual o maior número de itens da lista está mais barato. "Essa comparação pode ser feita por meio dos anúncios publicitários", recomenda.Não financiar compra em supermercadoEla é enfática ao afirmar que não se deve financiar a compra do supermercado. "É um gasto que se faz mês a mês. Não dá para deixar de comprar comida. Portanto, não pode parcelar em três ou quatro vezes, pagar juros absurdos e não ter como fazer as compras no mês seguinte. A melhor saída é economizar ao máximo", alerta. Uma vez no supermercado, o consumidor deve ficar atento às promoções. "Nem sempre o produto que aparece como oferta é o que tem o melhor preço. Também é preciso ficar atento a ofertas do tipo ´leve 3 e pague 2´, por exemplo. Às vezes, ao comparar a quantidade e o preço, não compensa." Se o consumidor não se preocupa com marcas, ela aconselha testar as mais baratas e saber se os produtos são de qualidade. "É bom avaliar custo-benefício neste caso. Muitas vezes, não há diferença significativa na qualidade, mas no preço, que pode chegar à metade." O mesmo vale para os produtos importados, que podem ser substituídos pelos de fabricação nacional. Não fazer compras com fomeEla alerta a nunca fazer compras quando estiver com fome. "O consumidor é impulsionado a comprar e o resultado é sempre levar mais do que realmente necessita", garante. Outra precaução a ser tomada é evitar levar as crianças para o supermercado. "Se for levar, deve conversar primeiro. Assim, a criança sabe que não pode exagerar."Dosar a quantidade sempre levando em conta a data de validade do produto é outro ponto importante, segundo a assistente de direção do Procon-SP. "Quando a data de validade é menor, se levar muita coisa, acaba estragando. Então, se quiser comprar quantidades maiores até para aproveitar uma oferta, melhor dar preferência a alimentos não perecíveis."Outro conselho é não ir ao supermercado diversas vezes. "Se estiver com o dinheiro disponível, melhor ir uma vez por mês. Quanto mais vai, mais gasta." Por outro lado, ela lembra que há produtos com validade menor, como frutas, verduras e frios, cuja reposição é feita em prazo menor. Também é aconselhável aproveitar a sazonalidade dos produtos. "As frutas da estação são mais baratas, por exemplo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.