Saiba como penhorar bens

O penhor continua sendo a forma mais rápida e barata para obter um empréstimo pessoal. A operação não exige avalista nem burocracia e é feita exclusivamente pela Caixa Econômica Federal (CEF) em cerca de 260 agências em todo o País. Os juros são dos mais baixos do mercado, mas quem não paga o empréstimo no vencimento, perde o bem, que vai a leilão. O empréstimo poderá ser recusado se as jóias e valores não tiverem um nível mínimo de qualidade. Aparelhos eletrônicos não são mais aceitos em garantia do empréstimo. A Caixa considerou que, por se desvalorizarem rapidamente, eles dão prejuízo na hora do leilão.Outra vantagem do penhor é a facilidade para obter o empréstimo. O interessado vai à agência da Caixa munido da carteira de identidade e do bem que deseja penhorar. A avaliação é feita no local, e o empréstimo, logo concedido, é limitado a 80% do valor de avaliação do bem. Os prazos para pagar o empréstimo são de 28, 56 ou 84 dias. Ao assinar o contrato, o consumidor paga juros antecipados, seguro de vida e contra sinistros, Tarifa de Abertura e Renovação de Crédito (TARC) e Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). A amortização do empréstimo é feita de uma só vez, mediante o pagamento integral da dívida e o resgate do bem penhorado. Se o cliente desejar, poderá antecipar o resgate, com direito a um desconto proporcional dos juros. É possível também abater uma parte da dívida ou aumentar o valor do empréstimo. Veja nos links abaixo mais informações sobre o penhor e outras linhas de crédito.

Agencia Estado,

24 de setembro de 2002 | 20h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.