Douglas Gavras
Douglas Gavras

Como está o funcionamento de serviços essenciais em São Paulo com a greve dos caminhoneiros

Segundo balanço do Comitê de Gerenciamento de Crise, a maioria dos serviços estão garantidos na capital paulista até a segunda-feira, dia 28

Priscila Mengue e Renata Okumura, O Estado de S.Paulo

26 Maio 2018 | 08h22
Atualizado 28 Maio 2018 | 15h43

SÃO PAULO - Grande parte dos serviços essenciais na cidade de São Paulo estão garantidos apenas até a segunda-feira, 28. Após reunião do Comitê de Gerenciamento de Crise, o prefeito Bruno Covas (PSDB) afirmou que a situação “ainda é grave” e, por isso “permanece o estado de emergência”. “Mas a gente tem ela controlada para esse final de semana e para segunda-feira.” 

Segundo ele, há diesel suficiente para as empresas de ônibus circularem com até 80% do efetivo nesta segunda-feira. A  São Paulo Transportes (SPTrans) informou que 61% da frota está em circulação na manhã desta segunda-feira.

Já a Guarda Civil Metropolitana (GCM) tem combustível para operar até  esta segunda-feira, mesmo prazo dos carros Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e das ambulâncias do SAMU, dos veículos para transporte de vacina e para os serviços de educação.

+++ Greve de caminhoneiros deixa a cidade de São Paulo em clima de feriado nesta tarde de 6ª feira

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que serão adiadas as cirurgias eletivas (não emergenciais) marcadas para esta segunda-feira nos hospitais municipais de São Paulo, diante da necessidade de reservas de insumos para os atendimentos de urgência e emergência.  Segundo a pasta, todos os pacientes com procedimentos agendados serão avisados e terão as cirurgias remarcadas. Também serão suspensos a remoção de pacientes para exames eletivos e os exames de rotina nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). 

Além disso, os hospitais municipais têm oxigênio até esta segunda-feira e o combustível para o transporte de medicamentos está garantido até quarta-feira, 30.

No caso da coleta de lixo, a Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb) informa que as concessionárias conseguiram adquirir 15 mil litros de combustível para a coleta de lixo domiciliar. Com isso, será possível manter a coleta nesta segunda-feira. 

Já o Serviço Funerário tinha combustível apenas até a manhã de domingo. Novos esforços estão sendo realizados para aumentar os estoques. Diante da permanência dos bloqueios de estradas e do desabastecimento da cidade, o estado de emergência está mantido. O Ilume, por sua vez, tem combustível até terça-feira, 29.

“Nós estamos realizando uma série de operações para poder ampliar esse prazo em que hoje nós já temos combustível", ressaltou Covas. As ações de busca e transporte de combustível são realizadas com suporte da Polícia Militar e da Polícia Civil.

O prefeito afirmou que ainda não há a necessidade de decretar ponto facultativo ou feriado municipal. “Talvez essa não seja a situação do fim da tarde ou do dia de amanhã, mas hoje a gente não tem nenhuma necessidade de decretar para segunda-feira”, diz. “A gente está a todo momento avaliando a situação.”

Segundo Covas, todos os serviços públicos essenciais permanecem em funcionamento, mesmo que parcial. “O que a gente pode ter é alguma falha porque de repente o motorista não conseguiu chegar, por que o carro está quebrado e não conseguem uma peça para fazer a reposição, mas não há nenhum serviço prejudicado 100% no dia de hoje”, disse. “A gente tem um mínimo garantido aqui na cidade.”

+++ Greve dos caminhoneiros chega ao 6º dia

Para garantir os serviços depois da segunda-feira, caso permaneça o desabastecimento, a Prefeitura estuda novas operações para obter combustível, como a que buscou combustível em uma distribuidora da Petrobrás no Ipiranga, na zona sul. “Ele só tem até segunda-feira porque estamos desde quarta-feira trabalhando para chegar até a segunda, porque se não nem na segunda a gente chegaria”, declara. 

O comitê de crise se reune novamente neste domingo. “A gente espera anunciar que já tem combustíveis para terça ou quarta-feira para a grande maioria desses serviços.”

Segundo ele, as maiores dificuldades são encontrar combustível e também caminhões que façam o transporte deste produto. “Só o sistema de ônibus consome, quando está operando de forma integral, algo em torno de 1,3 milhão de litros de diesel por dia, são números superlativos que nós temos na cidade de São Paulo que acabam dificultando as operações.”

A Prefeitura está tomando todas as ações possíveis para a greve ter o “menor impacto” para a população, afirma Covas. Ele agradeceu a colaboração dos moradores. “Quanto mais as pessoas puderem racionalizar combustível, puderem diminuir a quantidade de gasto, seja com viagem supérflua seja com qualquer tipo de deslocamento em que não há a necessidade, a gente pede a colaboração da população.”

Confira a última nota da Prefeitura de São Paulo sobre os serviços essenciais:

TRANSPORTES

A São Paulo Transporte (SPTrans) informa que operou na manhã de sábado com 57% da frota em média. Ao longo do fim de semana, foi autorizado às empresas que rodem com metade dos ônibus que usualmente operam. O índice de segunda-feira dependerá da quantidade dos estoques e de novas compras que puderem ser realizadas. Entre noite ontem e manhã sábado, a prefeitura conseguiu 550 mil litros de diesel, além dos 240 mil obtidos na sexta. Uma operação está em andamento para obter mais 580 mil litros. As linhas de trólebus e os veículos do ATENDE operaram com a frota máxima. 

A Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes informa que, para garantir o abastecimento de serviços essenciais na cidade, a CET liberou a Zona de Máxima Restrição à Circulação de Caminhões (ZMRC). A CET orientou os agentes de trânsito a não aplicar multas aos motoristas que tiverem pane seca nos veículos.  Os fiscais devem fazer apenas a remoção do veículo para um local seguro e onde não prejudique o trânsito. A manutenção dessas medidas depende da evolução da greve dos caminhoneiros e será decidida ao longo do fim de semana.

O programa Ruas Abertas foi mantido apenas na Avenida Paulista, para economizar combustível da CET.

COLETA DE LIXO E VARRIÇÃO

A AMLURB informa que as concessionárias conseguiram adquirir 15 mil litros de combustível para a coleta de lixo domiciliar. Com isso, será possível manter o a coleta ao longo do fim de semana e na segunda-feira. No domingo pela manhã ela tradicionalmente já não é realizada. A Prefeitura conduz novas operações para obter mais combustível para o serviço a partir de terça. Os Ecopontos permanecem fechados, já que os resíduos coletados nesses locais são encaminhados a aterros localizados em rodovias federais e estaduais, muitas delas bloqueadas pelos caminhoneiros. Os serviços de varrição de vias e logradouros continuam reduzidos, mas a coleta hospitalar, a limpeza pós-feiras livres e o recolhimento de animais mortos estão mantidos.

SAÚDE

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de São Paulo informa que todas as unidades estão funcionando normalmente, com possibilidade de falhas pontuais por ausência de um ou outro funcionário. As ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu-SP) tem combustível para o atendimento até o fim de segunda-feira. Há ações no fim de semana para a recomposição dos estoques. O mesmo se repete em relação ao transporte de vacinas e medicamentos, garantidos até segunda. Falhas pontuais podem ocorrer nas farmácias das UBSs. Os Hospitais Municipais também estão abastecidos com oxigênio e diesel para os geradores até segunda.

EDUCAÇÃO

A Secretaria Municipal de Educação informa que as escolas da rede municipal abrirão as portas na segunda-feira, com a oferta de merenda, que terá um cardápio especial, elaborado com supervisão da Coordenadoria de Alimentação Escolar, de acordo com os insumos disponíveis em estoque. Algumas fornecedoras de merenda terceirizada estão com dificuldade para obter gás de cozinha. A Prefeitura realiza esforços para sanar o problema.

SERVIÇO FUNERÁRIO MUNICIPAL

O estoque de combustível para o serviço de remoção de corpos foi suficiente para garantir o serviço até a manhã deste domingo. Novos esforços estão sendo realizados para aumentar os estoques.

Diante da permanência dos bloqueios de estradas e do desabastecimento da cidade, o estado de emergência está mantido. A Prefeitura, com o auxílio da Polícia Militar, continua empenhada em fazer valer a liminar obtida na quinta-feira, que obriga os grevistas a suspender atos que impeçam o abastecimento de combustível para os serviços essenciais.

Mais conteúdo sobre:
caminhoneiro greve São Paulo [cidade SP]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.