Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados
Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

Saiba quem é Tereza Cristina, futura ministra da Agricultura

A engenheira agrônoma foi eleita deputada federal por Mato Grosso do Sul em 2015 e é presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária

Camila Turtelli, O Estado de S.Paulo

09 Novembro 2018 | 04h00

BRASÍLIA - A futura ministra da Agricultura é hoje presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA). Engenheira agrônoma, Tereza Cristina foi eleita deputada federal por Mato Grosso do Sul em 2015, quando ainda era filiada ao PSB. Migrou para o DEM em outubro de 2017, pouco antes de assumir a liderança da bancada, substituindo o deputado Nilson Leitão (PSDB-MT).

Na Câmara, a atuação da parlamentar ficou marcada nos últimos anos pela defesa à aprovação do Projeto de Lei 6.299, que flexibiliza as regras para fiscalização e aplicação de agrotóxicos no País, o que rendeu a ela o apelido de “musa do veneno” entre os ambientalistas. Tereza também foi relatora da medida provisória que criou o Programa de Regularização Tributária Rural (Refis), do Fundo de Assistência do Trabalhador Rural (Funrural), o que gerou críticas de algumas alas do agronegócio que não concordavam com o projeto.

Apesar desse episódio, a deputada é vista com bons olhos pelo setor, no qual tem uma longa trajetória, e é tida como uma pessoa que reúne técnica, experiência e boa articulação política para assumir o cargo. Em Mato Grosso do Sul, antes de ser eleita deputada federal, Tereza ocupou quatro secretarias como gerente executiva: Planejamento, Agricultura, Indústria e Comércio e Turismo.

Fidelidade

Ela também é produtora rural, tem dois filhos e um neto. Nas eleições deste ano, Tereza liderou o apoio da frente rural a Jair Bolsonaro à Presidência, ainda no primeiro turno, apesar do apoio oficial de seu partido, o DEM, ao tucano Geraldo Alckmin, no acordo feito com o Centrão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.