Saída da Grécia da ZE seria catastrófica, diz Merkel

A chanceler alemã Angela Merkel disse que seria "catastrófico" permitir que a Grécia deixasse a zona do euro por causa de seus problemas com a dívida. A declaração foi feita a um programa da televisão da rede britânica BBC.

AE, Agencia Estado

25 de março de 2012 | 21h02

Ela disse que Atenas tem "uma longa e árdua estrada" até a recuperação, depois que o país foi forçado a pedir dois pacotes internacionais de resgate, mas que seria um "erro político enorme permitir que a Grécia deixe" a moeda única europeia. "Nós tomamos a decisão de sermos uma união monetária. Não se trata apenas de uma decisão monetária, e sim de uma decisão política", disse Merkel em entrevista à BBC, falando em alemão. "Seria catastrófico se disséssemos a um dos que decidiram estar conosco ''não o queremos mais''."

"A propósito, os tratados (da UE) não permitem isso, de qualquer forma. Pessoas em todo o mundo perguntariam ''quem será o próximo?'' A era do euro ficaria incrivelmente enfraquecida."

Falando sobre o surgimento de um sentimento antigermânico por causa do papel de liderança de Berlim na condição da crise da dívida, Merkel disse que "a discussão europeia sobre o euro se tornou quase uma questão de política doméstica". "Nós temos debates duros em nossos parlamentos e usamos palavras pesadas. Isso também caracteriza os debates em toda a Europa." E acrescentou que "felizmente aprendemos a resolver nossos conflitos de forma pacífica, falando sobre eles e então os transformando numa oportunidade".

Na entrevista ao programa "Newsnight", Merkel também reiterou seu apoio à forte presença do Reino Unido na UE, apesar da medida tomada pelo primeiro-ministro David Cameron de bloquear um novo pacto fiscal, em dezembro. "O Reino Unido precisa saber que a Alemanha quer um Reino Unido forte na UE, sempre quisemos e sempre vamos querer", afirmou ela. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
UEcriseMerkel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.