Saída de Agnelli não foi discutida, afirma Vale

A Vale informou ontem, em comunicado, que o tema de uma possível troca no comando da empresa "jamais foi tratado" pelos acionistas controladores. "As especulações na imprensa, que atribuem a "fontes do Conselho de Administração" informações neste sentido, não retratam a posição dos acionistas controladores da empresa", informou a mineradora.

Reuters, O Estado de S.Paulo

27 de outubro de 2010 | 00h00

As especulações sobre uma possível saída de Agnelli do comando da maior produtora mundial de minério de ferro ganharam força após o próprio executivo declarar na Zâmbia, onde foi inaugurar um projeto de cobre em meados de outubro, que membros do partido do governo, o PT, estariam de olho em cargos na empresa. "Existem muitas pessoas procurando uma vaga na empresa, e geralmente essas pessoas são do PT", disse o executivo no dia 14.

Agnelli está no comando da Vale desde 2001 e enfrentou conflitos com o governo durante a crise econômica entre 2008 e 2009, por causa de demissões efetuadas pela companhia. O governo cobrou da empresa investimentos em siderúrgicas para agregar valor ao minério de ferro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.