Saída de Dilma não prejudica modelo, diz ministro interino

O ministro interino de Minas e Energia, Nelson Hubner, avaliou que uma eventual saída da ministra de Minas e Energia, Dilma Rousseff para ocupar a Casa Civil da Presidência da República não deve interferir na implementação do novo modelo do setor elétrico. "Eu espero que ela não saia. O próprio modelo precisa ser consolidado. Mas se ela sair (o processo) será cercado de todos os cuidados para que não aconteça nenhuma solução de continuidade", afirmou Hubner, depois de participar da abertura do seminário "Energia e Meio Ambiente - Perspectivas Legais", que está sendo realizado em Brasília.Hubner informou que até o fim do ano está prevista a realização de leilão de energia nova do qual deverá ser leiloada a energia produzida por 17 usinas. Segundo ele até o mês de agosto todas as licenças ambientais destas usinas estarão liberadas. Apesar de não confirmar a saída da ministra, Hubner disse que não haveria problemas de o ministério ser ocupado pelo atual presidente da Eletrobrás, Silas Roundeau, que vem sendo citado para assumir o cargo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.