Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Saída de diretores da Petrobras cabe ao Conselho

O Ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, preferiu não comentar a saída de três diretores da Petrobras, anunciada na noite de quarta-feira, alegando existirem leis que o impedem de falar do assunto. "Há leis que regem esta matéria, essas leis me impedem de falar", disse ele nesta quinta-feira.

SABRINA VALLE, Agencia Estado

26 de abril de 2012 | 12h11

Segundo o ministro, essa é uma decisão do Conselho de Administração da companhia, que se reunirá na sexta-feira. Lobão, no entanto, não negou a informação.

O governo comunicou na quarta-feira a saída do diretor de Abastecimento, Paulo Roberto Costa, do diretor da área de Serviços, Renato Duque, e do diretor da área Internacional, Jorge Zelada. Costa confirmou a saída e afirmou que recebeu a notícia do próprio Lobão. "Não confirmo", disse o ministro.

Os três diretores são funcionários de carreira da empresa e as alterações fazem parte do processo de mudança de diretoria que o governo começou a implementar com a nomeação de Maria das Graças Foster para o comando da estatal, em fevereiro. Costa e Duque estavam nos cargos desde 2003, primeiro ano do governo Luiz Inácio Lula da Silva.

Tudo o que sabemos sobre:
Petrobrasdiretoriasaída

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.