Saída de dólares do Brasil chega a US$ 2,1 bilhões em dezembro

Até a terceira semana do mês, fluxo cambial acumulado estava positivo; últimos dias colocaram resultado no vermelho

EDUARDO RODRIGUES/BRASÍLIA , O Estado de S.Paulo

29 de dezembro de 2011 | 03h06

A saída de dólares do País continua em dezembro. Após ter chegado a ficar positivo no acumulado das três primeiras semanas do mês, o fluxo cambial voltou a ficar no vermelho na semana passada.

De acordo com dados divulgados ontem pelo Banco Central, a saída de dólares superou a entrada em US$ 2,108 bilhões este mês até a última sexta-feira. Nos primeiros 17 dias úteis de dezembro, o fluxo estava negativo em US$ 1,727 bilhão.

Na conta financeira, onde estão contabilizadas operações como investimentos em bolsa de valores e títulos de renda fixa, investimentos produtivos, empréstimos e remessas de lucros e dividendos, o fluxo até agora em dezembro é negativo em US$ 2,407 bilhões, resultado de vendas de US$ 34,805 bilhões e compras de US$ 32,399 bilhões.

Já o fluxo comercial foi positivo em US$ 299 milhões. As exportações garantiram uma entrada de US$ 15,890 bilhões, enquanto as importações responderam por uma saída de US$ 15,591 bilhões.

Os dados do Banco Central mostram ainda que somente na quarta semana de dezembro - entre os dias 19 a 23 - o fluxo cambial foi negativo em US$ 2,096 bilhões. Neste caso, tanto a conta financeira, quanto a comercial ficaram no vermelho. Na primeira, a saída de dólares superou a entrada em US$ 1,343 bilhão. Na segunda, a saldo negativo foi de US$ 753 milhões.

O último mês fechado que apresentou resultado positivo no fluxo cambial este ano foi setembro, com ingressos líquidos de US$ 8,484 bilhões. Em outubro houve déficit de US$ 134 milhões e em novembro a fuga foi de US$ 942 milhões.

No acumulado do ano, porém, a entrada líquida de dólares no País é de US$ 65,114 bilhões. Na conta financeira, o superávit é de US$ 22,546 bilhões, enquanto o fluxo comercial é positivo em US$ 42,568 bilhões.

No mesmo período do ano passado, o saldo total também era positivo, mas em valor bem inferior ao registrado agora: US$ 24,536 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.