Marcelo Camargo/Agência Brasil
Marcelo Camargo/Agência Brasil

Saída de Meirelles oficializa a corrida para quem irá sucedê-lo na Fazenda

Estão no páreo o atual secretário-executivo da Fazenda, Eduardo Guardia, o secretário de Acompanhamento Fiscal do Ministério, Mansueto Almeida e o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira

O Estado de S.Paulo

26 Março 2018 | 13h37

A confirmação da saída de Henrique Meirelles do comando da Fazenda para tentar se viabilizar como candidato nas eleições à Presidência da República oficializa a corrida para quem irá sucedê-lo na liderança da pasta. Três nomes estão na disputa: o atual secretário-executivo da Fazenda, Eduardo Guardia, o secretário de Acompanhamento Fiscal do Ministério, Mansueto Almeida e o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira.

+ Temer confirma saída de Meirelles da Fazenda

Dos três, Dyogo Oliveira seria o menos cotados. Ele é o nome de confiança do líder do governo no Senado e presidente nacional do MDB, o senador Romero Jucá (RR). E em que pese ter sido o responsável pela estratégia de saques das contas inativas do FGTS no ano passado, celebrada por Temer como uma de suas maiores vitórias, Oliveira  não teria agradado o mercado financeiro tanto quanto Mansueto e Guardia, que atualmente integram a linha de frente do Ministério da Fazenda e contariam, inclusive, com o apoio do próprio Henrique Meirelles. 

Tanto é assim que, na conversa com Temer em que acertou sua saída do governo, Henrique Meirelles teria sugerido ao presidente os nomes de Eduardo Guardia e de Mansueto Almeida. 

A avaliação do ministro é de que manter a continuidade na equipe é o melhor caminho para evitar turbulências desnecessárias nessa reta final de governo, quando o Planalto espera avançar em projetos importantes da agenda microeconômica, aproveitando uma conjuntura econômica de curto prazo muito favorável. 

+ Paulo Rabello confirma que deixará BNDES para disputar eleições presidenciais

As projeções apontam para um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) que pode superar as expectativas e chegar a 3,4%, arrecadação em alta, inflação baixa e juros que tendem a cair ainda mais.

Confirmação. Nesta segunda-feira, O presidente Michel Temer confirmou ao Broadcast/Estadão que o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, vai deixar o cargo nos próximos dias para tentar se viabilizar como candidato à Presidência da República. "Já era a intenção dele. Acertamos nesses últimos dias", afirmou Temer à reportagem em rápida conversa por telefone. O presidente disse ainda não ter decidido quem substituirá Meirelles.

A estratégia do MDB é ter uma opção interna caso o projeto de reeleição do presidente Michel Temer não decole. Para começar a impulsionar o nome de Meirelles, Temer levou a tiracolo o ministro da Fazenda em um giro pelo Nordeste na semana passada. O anúncio de Temer antecipa o próprio Meirelles, cuja intenção era anunciar sua decisão somente no dia 2 de abril, em Portugal. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.