Saint-Gobain fechará capital de três empresas

O grupo francês Saint-Gobain vai fechar o capital de três controladas no Brasil: Vidraria Santa Marina, Brasilit e Metalúrgica Barbará. Com a operação, o grupo dá prosseguimento à reestruturação das empresas. A razão social de duas companhias já foi alterada. A Santa Marina agora se chama Saint-Gobain Vidros e a Metalúrgica Barbará, Saint-Gobain Canalização.O anúncio da companhia não pegou o mercado de surpresa. Para o analista da Fama Investimentos, Fábio Alperowitch, a operação já era esperada. Ele lembrou que recentemente a Saint-Gobain fez uma oferta de ações nos Estados Unidos, e que era previsto que ela fechasse o capital de suas subsidiárias no Brasil. Analistas já apontavam a falta de abertura de informações das empresas e o baixo volume de negócios das ações como indícios do desinteresse pelo mercado brasileiro. Os acionistas minoritários das companhias ainda não sabem quanto vão receber por seus papéis na oferta pública para fechamento de capital. Os valores devem ser conhecidos no próximo dia 18, quando haverá uma assembléia de acionistas. O grupo não quis comentar a operação. O presidente da Associação Nacional dos Investidores do Mercado de Capitais (Animec), Waldir Corrêa, afirmou que sempre pleiteia que as ofertas sejam feitas pelo valor econômico das ações - que considera as perspectivas de resultados futuros. Mas, avalia que nesse caso o mínimo que a Saint-Gobain pode fazer é oferecer o valor patrimonial.Apesar do baixo volume de negócios, um atrativo das empresas do grupo era o bom pagamento de dividendos aos acionistas. O destaque é a Metalúrgica Barbará, que possui um dos maiores índices do mercado. Segundo a Economática, o "dividend yield" da empresa está em 18%. Esse valor corresponde à soma dos dividendos pagos por ação no último ano divididos pelo preço atual dos papéis no mercado.Operação custará R$ 145 milhõesSe o Saint-Gobain decidir pagar o valor patrimonial das ações de suas controladas, terá de desembolsar cerca de R$ 145 milhões na operação de fechamento de capital. A Santa Marina é a companhia que tem maior volume de ações em circulação (21,25% do capital total) e a oferta custaria para a Saint-Gobain R$ 135,660 milhões - considerando o valor patrimonial de R$ 2,97. A oferta pela Brasilit pode sair por R$ 5,997 milhões, valor correspondente a 1,26% do capital que está no mercado. A Barbará tem em circulação 17,31% do seu capital, que representa R$ 3,113 milhões.

Agencia Estado,

08 de dezembro de 2000 | 19h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.