Sala de ações é boa opção para inexperientes

Em diversos locais, investidores podem comprar e vender papéis dentro das agências[br]bancárias e corretoras

Roberta Scrivano, O Estado de S.Paulo

19 de julho de 2010 | 00h00

Sentir-se inseguro para iniciar a aplicação em ações é comum, segundo especialistas. E é justamente para mitigar essa questão que os grandes bancos e algumas corretoras independentes oferecem a possibilidade de se investir em uma sala de ações, sob a coordenação de um analista e junto com outros investidores.

Essas salas são espaços físicos, dentro das agências bancárias ou corretoras, em que os investidores têm acesso a computadores devidamente equipados com home broker, para que sejam feitas as ordens de compra e venda de papéis.

O objetivo, segundo as instituições que oferecem essa opção, é dar segurança ao pequeno investidor para a aplicação em ações, deixá-lo mais próximo dos analistas da corretora para que no futuro ele consiga operar sozinho com tranquilidade.

"É uma boa forma de começar", diz o educador financeiro Maurício Bastter Hissa. "E, ao mesmo tempo, também é preciso estudar e fazer cursos por conta própria", completa.

Perfil. Mesmo com o intuito de atrair sobretudo os investidores inexperientes, o perfil dos frequentadores é bem variado, segundo os bancos e corretoras. Há desde trabalhadores que aproveitam o período do almoço para checar o desempenho da carteira, até pessoas com mais tempo disponível, como aposentados ou universitários.

O Santander é o líder no número de salas: são quase 100 espaços espalhados pelo Brasil. "A sala de ações acaba sendo um caminho natural para o investidor entrar no mercado acionário", diz Orlando Zainaghi Junior, superintendente da corretora Santander.

O Bradesco é o segundo banco que mais oferece salas: são 20, em nove estados do País. A primeira sala do Bradesco foi inaugurada em 2005 e a pretensão do banco é abrir mais 18 salas até o fim desse ano. Segundo o superintendente-executivo da Bradesco Corretora, Wlademir Mendonça, no total, 5,2 mil clientes já fizeram movimentações na carteira a partir das salas.

O Itaú disponibiliza cinco espaços desse tipo para os clientes Personnalité. O HSBC também conta com cinco salas de ações espalhadas pelo Brasil.

Em geral, as salas ficam abertas durante o horário de pregão da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que atualmente vai das 10 horas às 17h30. Os horários em que há maior número de investidores nas salas são na abertura do mercado, durante o almoço e na reta final da sessão do pregão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.