Edu Andrade/Ascom/ME
Edu Andrade/Ascom/ME

Sala de imprensa do Ministério da Economia é batizada com nome do jornalista Ribamar Oliveira 

Em cerimônia com a presença do ministro da Economia, Paulo Guedes, Ribamar foi homenageado pelos repórteres que fazem a cobertura diária da Pasta em Brasília, amigos e autoridades

Adriana Fernandes, O Estado de S.Paulo

01 de junho de 2022 | 21h56

BRASÍLIA - A sala de imprensa do Ministério da Economia recebeu nesta quarta-feira, 1º, o nome do jornalista Ribamar Oliveira no dia do aniversário de um ano da sua morte. 

Riba, como era chamado pelos amigos, faleceu aos 67 anos após 50 dias internado lutando contra o vírus da covid-19. Em cerimônia com a presença do ministro da Economia, Paulo Guedes, Ribamar foi homenageado pelos repórteres que fazem a cobertura diária da Pasta em Brasília, amigos e autoridades.  

Na cerimônia, Guedes disse que Ribamar se destacou pela excelência profissional na busca da informação precisa "sem lados" e fonte de inspiração para os colegas. O ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, e o secretário do Tesouro Nacional, Paulo Valle, também participaram da homenagem. 

O auditório do ministério, palco do anúncio das principais medidas que marcaram a história da política econômica do País em décadas, também deverá receber o nome de Ribamar Oliveira, segundo Guedes.

Ribamar era colunista do jornal Valor Econômico e um dos mais respeitados nomes do jornalismo brasileiro. Também foi coordenador de economia, repórter especial e colunista do Estadão

Foi ainda chefe de redação da sucursal de O Globo em Brasília, repórter do Jornal do Brasil . Trabalhou também nas revistas "Veja" e "Isto é" e foi assessor de imprensa do Ministério do Planejamento em 1994 (ano de lançamento do Plano Real), além de assessor de imprensa do Banco Central.

Emocionada, a esposa de Ribamar, a também jornalista Lilian Oliveira, destacou a paixão dele pelo que fazia e sua capacidade de análise dos acontecimentos econômicos em Brasília. 

Amigos lembraram o papel importante e incisivo do jornalista em cobrar das autoridades respostas a problemas e fatos que muitas vezes os governos não queriam mostrar. Foram 40 anos de profissão.

Além da esposa de Ribamar, participaram da homenagem os filhos – Júlia, Valentina e Ricardo –, amigos e jornalistas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.