Salários de dirigentes da CEF terão reajuste de até 77,5%

O novo plano de cargos e salários para gerentes, superintendentes e diretores da Caixa Econômica Federal (CEF) vai aumentar em cerca de R$ 96 milhões os gastos anuais da instituição com salários e encargos trabalhistas, o equivalente a 3% das despesas atuais, que somam R$ 3,2 bilhões.Em 2002, o impacto será menor, praticamente a metade desse valor, já que os aumentos só começarão a ser pagos a partir deste mês. Segundo o diretor de Recursos Humanos da Caixa, José Renato Correa, os reajustes variam de 0,05% a 77,5% e fazem parte de um programa que já vinha sendo discutido no governo desde a reestruturação do banco em junho de 2001."A Caixa tinha uma limitação constitucional que estabelecia um teto para o salário dos seus dirigentes. Isso provocava uma compressão nos cargos gerenciais", argumenta Correa, ressaltando que a diferença salarial entre os gerentes e superintendentes era pequena e que aprovação de uma emenda constitucional foi o que permitiu a criação de um programa dando tratamento diferenciado aos profissionais com cargo de gerência."Essa diferenciação, entre outras coisas, leva em conta o porte da unidade em que o funcionário trabalha, a importância dessa unidade no desempenho da instituição, metas a serem cumpridas e o custo de vida local", explica o diretor da Caixa."A questão é que não se trata de um aumento de salário, mas sim de um realinhamento e uma forma mais justa de tratar os profissionais da instituição" afirma. Para o diretor, os demais funcionário da Caixa "já têm uma estrutura ajustada à prática de mercado e também a perspectiva de crescimento dentro da empresa".Dos 55 mil funcionários da Caixa, 12,5 mil ocupam cargos de gerência, superintendência ou diretoria. O programa se destina a esse grupo. Segundo Correa, pelo critério de classificação utilizado 2,7 mil não terão qualquer tipo de aumento. Já os 36 superintendentes tiveram o piso salarial elevado de R$ 8 mil para R$ 11,9 mil e, nove deles poderão receber até R$ 14,2 mil, dependendo de avaliação que ainda será feita pela Caixa, considerando as áreas de maior interesse para resultado do banco.Os outros 9.764 mil funcionários terão reajustes escalonados a partir de 0,05%. Os diretores passarão a ganhar um salário de R$ 14,280 mil e não mais de R$ 9,6 mil. Esse valor deverá aumentar para R$ 17,040 quando o banco instituir a categoria dos nove superintendentes, que receberão R$ 14,2 mil.

Agencia Estado,

18 de julho de 2002 | 23h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.