Saldo comercial deve chegar a US$ 42 bi, prevê AEB

O superávit da balança comercial brasileira deverá atingir US$ 42,1 bilhões, com aumento de 25% sobre os US$ 33,7 bilhões de 2004, segundo estimativa divulgada ontem da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB). A expectativa de saldo é bem superior a anterior, divulgada em dezembro do ano passado, que previa um superávit de US$ 26,6 bilhões.O vice-presidente da AEB, José Augusto de Castro, explicou que a expectativa inicial para este ano era que as importações ganhassem maior impulso com o aquecimento do mercado doméstico e as exportações desacelerassem após dois anos de forte expansão. A realidade se revelou totalmente diversa e a estimativa da AEB para as exportações em 2005 é que alcancem US$ 114,55 bilhões, com aumento de 18,7% ante os US$ 96,47 bilhões exportados no ano passado. Em dezembro, a AEB previa exportações de US$ 100,27 bilhões em 2005. Segundo Augusto de Castro, o ótimo desempenho das vendas externas ocorreu por recuperação de preços ou quantidades exportadas de produtos como café, aço, soja e carnes. No caso dos manufaturados, a expectativa de que a taxa de câmbio desfavorável reduzisse as exportações não se confirmou porque, segundo ele, as empresas estão preferindo reduzir receita para preservar o mercado conquistado. ImportaçõesNas importações, a AEB projeta US$ 72,42 bilhões em 2005, aumento de 15,4% sobre os US$ 62,7 bilhões do ano passado. A projeção do valor importado foi reduzida desde dezembro, quando estimava-se que chegaria a US$ 73,71 bilhões. Augusto de Castro explica que a demanda interna não se aqueceu como esperado, o que frustrou um pouco as previsões de aumento das importações.No caso das importações de bens de capital, que são um termômetro dos investimentos, a estimativa é que seja o principal aumento entre os segmentos pesquisados. De acordo com a AEB, as compras externas desses produtos deverão atingir US$ 14,9 bilhões neste ano, porcentual 22,7% superior ao ano passado (US$ 12,1 bilhões).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.