Saldo comercial pode cair nos próximos meses, prevê Meziat

O secretário de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Meziat, disse hoje que o superávit comercial acumulado nos últimos 12 meses, de US$ 41,259 bilhões, é muito elevado e não deve ser mantido até o final do ano. "A tendência é que as importações cresçam mais", disse ele, justificando a provável queda do saldo no último trimestre do ano.O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, é mais otimista e diz que é possível que o superávit comercial deste ano chegue a US$ 42 bilhões. Segundo Furlan, o alargamento do superávit comercial deve ocorrer em função do aumento da meta das exportações, que passou de US$ 112 bilhões para US$ 117 bilhões.Contudo, Meziat destaca que a expectativa do governo é de que haja um crescimento das importações no último trimestre do ano, movimento que tem sido consistente nos últimos meses. Com exceção de agosto, quando houve um aumento acima do esperado, as importações desde maio vêm registrando valores acima de US$ 6 bilhões.Furlan também acredita no crescimento das importações, em função da formação de estoques pelas empresas para as vendas do final do ano, mas, em dezembro, segundo Furlan, elas vão cair.ExportaçõesSegundo Meziat, as exportações devem continuar crescendo em função do aumento da demanda gerado pela expectativa de crescimento da economia. De acordo com ele, o crescimento das vendas externas deve continuar se dando principalmente em matérias-primas e produtos intermediários. Ele destacou que a meta de US$ 120 bilhões para 2006 ainda está mantida. "Com isso, vamos dobrar o valor das exportações em quatro anos de governo Lula", disse o secretário. Ele afirmou que o Ministério ainda irá ouvir os setores para trabalhar uma nova meta. A nova meta de exportação para este ano foi anunciada hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.