Saldo da agricultura paulista cresce 16,5% até setembro

O saldo comercial da agricultura paulista nos nove primeiros meses de 2006 atingiu um superávit de US$ 7,22 bilhões, resultado de US$ 10,39 bilhões em exportações menos as importações, que somaram US$ 3,17 bilhões. O valor é 16,5% superior ao do mesmo período do ano passado, de acordo com dados do Instituto de Economia Agrícola (IEA), órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, divulgados nesta quinta-feira.O agronegócio evitou que a balança comercial total paulista apresentasse um déficit nos 9 primeiros meses do ano. As exportações totais em São Paulo chegaram a US$ 33,33 bilhões entre janeiro e setembro e as importações foram de US$ 27,16 bilhões. Ou seja, se fossem excluídas as exportações ligadas ao setor agropecuário, o superávit total de US$ 6,17 bilhões seria transformado em um déficit de US$ 1,05 bilhão no período.A cadeia produtiva da cana-de-açúcar, com US$ 3,83 bilhões, liderou a lista entre as exportações paulistas, seguida pelas cadeias de bovídeos (US$ 1,95 bilhão); produtos florestais (US$ 1,17 bilhão); frutas (US$ 1,05 bilhão) e bens de capital e insumos (US$ 580 milhões). Esses setores somam 82,6% das exportações setoriais paulistas.De janeiro a setembro, a quantidade dos produtos do agronegócio exportada de produtos paulistas que diminuiu 9,1%. Segundo os pesquisadores do IEA, os preços internacionais compensaram este decréscimo no volume físico das exportações. O aumento de preços dos produtos do agronegócio foi de 28,4% no paulista, o que garantiu o superávit.Contribuiu ainda para o saldo positivo a agregação de valor por meio do processamento de produtos agrícolas na indústria de transformação. O conjunto de produtos industrializados respondeu por 89,2% do total dos embarques do agronegócio paulista entre janeiro e setembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.