Saldo da balança comercial em 12 meses é recorde histórico

O secretário de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Ivan Ramalho, afirmou hoje que o saldo acumulado da balança comercial de agosto de 2002 até julho de 2003, de US$ 21 bilhões, é recorde histórico. Os números referentes aos sete primeiros meses de 2003, de US$ 12,454 bilhões, também foi o maior já registrado para o período desde 1990. Em conseqüência, o desempenho da conta de transações correntes saiu de um déficit de 3,98% do PIB nos sete primeiros meses de 2002 para um superávit de 0,25%. Ramalho disse que os resultados positivos do comércio exterior refletem a diversidade de produtos que passaram a fazer parte da pauta exportadora e a inclusão de novos países entre os importadores de produtos brasileiros. Além disso, 652 novas empresas se registraram pela primeira vez no Siscomex, o que indica que o número de exportadores cresceu nos primeiros sete meses deste mês. Para se ter uma idéia da ´diversidade´ atual do setor exportador, as vendas de motocicletas registraram a maior alta entre os itens vendidos ao Exterior: 275% sobre janeiro a julho do ano passado. Em seguida, mármores e granitos, com elevação de 236%, e mel, que cresceu 224%. Entre os importadores, os países que registraram maiores aumentos nas compras brasileiras foram Mali (838%), Malta (613%), Islândia (441%) e Belarus (402%). "O exportador está buscando novos mercados", destacou.ExplicaçõesRamalho descartou que os números tenham sido tão positivos por conta da desvalorização cambial do ano passado. Quando o câmbio chegou próximo de R$ 4,00, a competitividade do produto brasileiro teria crescido muito, pelo menos em teoria. O secretário afirmou, no entanto, que o período de fechamento dos contratos de exportação varia de produto a produto, o que desatrelaria os atuais resultados do comércio exterior da desvalorização cambial. Ramalho falou hoje a empresários durante evento promovido pela Adebim (Associação de Empresas Brasileiras Para a Integração no Mercosul).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.