Saldo das prefeituras surpreende

Mesmo às vésperas das eleições, os municípios terminaram junho com volume recorde parado no caixa: R$ 558 milhões, maior saldo já registrado para o mês. O desempenho foi classificado "surpreendente" pelo chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Altamir Lopes. No mês passado, as prefeituras ainda estavam autorizadas a gastar sem trombar com a legislação eleitoral. O resultado é ainda mais inusitado quando se leva em conta que, em junho, as prefeituras receberam menos verbas do Fundo de Participação dos Municípios. Foram R$ 3,1 bilhões, ante R$ 3,6 bilhões em maio. Uma possível explicação, para Altamir, seria o fato de as prefeituras já estarem ingressando em período de "desaceleração" de gastos graças às eleições.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.