Saldo de crédito com recursos livres deve crescer 1,9%, diz Febraban

Expectativa de crescimento contempla avanço de 1,2% em Pessoa Física, especialmente em crédito pessoal

Francisco Carlos de Assis, da Agência Estado,

23 de julho de 2012 | 17h24

SÃO PAULO - O saldo das operações de crédito com recursos livres deve crescer 1,9% em junho, segundo prevê sondagem preliminar feita pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban). A previsão consta do Informativo Semanal de Economia Bancária (Iseb), que a entidade divulga todas as segundas-feiras.

O resultado efetivo será conhecido nesta quinta-feira, 26, quando o Departamento Econômico do Banco Central divulgará a Nota à Imprensa de Política Monetária e Operações de Crédito do Sistema Financeiro Nacional.

"Pela primeira vez no período recente, podemos inferir que os números trouxeram aceleração, observada tanto nos saldos como nas concessões diárias e mesmo após o ajuste sazonal e sem contar com eventos extraordinários, como o efeito cambial", afirmam os economistas Rubens Sardenberg, Jayme Alves e Rachel Peixoto, responsáveis pelo Iseb.

O crescimento esperado pela Febraban de 1,9% em junho no saldo das operações de crédito com Recursos Livres contempla avanço de 1,2% em Pessoa Física, especialmente em crédito pessoal. Pelo levantamento, o crédito para Pessoa Jurídica deverá experimentar expansão de 2,7%, um dos maiores recentes, mas dessa vez sem a influência cambial já que o real ficou praticamente estável em junho.

Se as previsões da sondagem preliminar da Febraban forem confirmadas, o saldo das operações de crédito com recursos livres deverá acelerar para 16,4% no acumulado de 12 meses. Em maio, o saldo destas operações havia crescido 16,1% no acumulado de 12 meses, com nova aceleração em Pessoa Jurídica para 18% em 12 meses, de 17,2% no período de 12 meses encerrado em maio.

Já para Pessoa Física, o saldo das operações de crédito no acumulado de 12 meses deve desacelerar em junho para 14,8% de 15% em maio.

Novas concessões

As novas concessões de crédito devem ter encerrado junho com uma queda de 2,7% em termos acumulados, com retrações de 2,2% em Pessoa Jurídica e 3,5% em Pessoa Física, em decorrência do efeito calendário - junho teve dois dias úteis a menos que maio. Mas alguns segmentos deve mostrar reação, como o crédito para veículos e em cartão crédito.

Considerando a média diária das concessões, o desempenho é positivo, com alta de 7%, sendo 7,6% em Pessoa Jurídica e alta de 6,2% em Pessoa Física. De acordo com a sondagem, em Pessoa Física as concessões diárias serão mais fracas em crédito pessoal (-2,9%) e bem acentuadas em cartão de crédito, alta de 12,5%, após forte queda em maio.

No segmento de veículos, a alta deverá ser de 32% no mês, reflexo das medidas de incentivo tributário ao setor adotadas recentemente pelo governo. Se esse número previsto pela sondagem for confirmado, o segmento terá atingido o maior nível mensal de concessões diárias de veículos desde dezembro de 2010, época da adoção das medidas macroprudenciais. "Mesmo fazendo o ajuste sazonal podemos verificar aumento das concessões diárias, de 3,2% em Pessoa Jurídica e de 4,4% em Pessoa Física, sobretudo em veículos, com alta de 22,3%, e cartão de crédito, com elevação de 8,7%", afirmam os economistas da Febraban.

De acordo com a sondagem preliminar da Febraban, na comparação anual também há aceleração no ritmo de concessões diárias, sobretudo em Pessoa Jurídica, com expansão de 16% ante junho, sendo o maior ritmo nessa comparação desde maio de 2008. Em Pessoa Física, também houve aceleração na comparação anual, ainda que mais comedida, com crescimento de 11,8%, o maior desde fevereiro último.

Tudo o que sabemos sobre:
FebrabanCrédito com recursos livres

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.