Saldo em transações correntes volta ao valor de 94

O saldo em transações correntes do País está retornando aos valores de há oito anos, especialmente em conseqüência do desempenho da balança comercial. A observação é do Ipea no último boletim de conjuntura, divulgado hoje.A instituição observou que o saldo deve-se a fatores como o superávit comercial de agosto, que atingiu US$ 1,6 bilhão - o maior valor desde maio de 1990 -, totalizando US$ 5,4 bilhões no acumulado do ano e US$ 7,4 bilhões em 12 meses. Ainda segundo o Ipea, o déficit corrente de julho, de US$ 550 milhões, atingiu o menor valor desde setembro de 1994, quando foi positivo pela última vez.O instituto alertou, entretanto, que "apesar dos esforços realizados na conta corrente, o ingresso de capitais continua diminuindo esse ano em todos os componentes". Comparando-se os sete primeiros meses de 2001 e 2002, verifica-se que o ingresso de investimentos diretos caiu de US$ 14,8 bilhões para US$ 8,9 bilhões; os investimentos em carteira, de US$ 2 bilhões para um resultado negativo em US$ 0,9 bilhão; e os outros investimentos, exceto operações com o FMI e variação da posição dos bancos, de US$ 0,4 bilhão para negativos em US$ 2,4 bilhões.Ainda assim, as reservas internacionais do País continuam, na análise do Ipea, "num patamar bastante confortável", de cerca de US$ 37,7 bilhões no início de setembro, no conceito de liquidez internacional, e de US$ 23,5 bilhões, excluindo-se as operações com o FMI.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.