"be water"

Coluna Leandro Miranda: como se moldar à nova economia após a covid-19?

Sam Zell entra na Tenda de olho no filão popular

O megainvestidor americano Sam Zell, que no Brasil já é acionista importante da Gafisa e BR Malls, quer um naco maior do pacote habitacional do governo Lula. Ontem, a sua Equity International (EI) anunciou a aquisição de 4,86% da construtora Tenda por R$ 28 milhões. "Desde que a Gafisa comprou 60% da Tenda, no ano passado, ele já demonstrava interesse em adquirir uma participação direta na construtora", conta o presidente da Gafisa, Wilson Amaral. "A Equity sempre se deu bem em empresas com foco na baixa renda." A EI foi acionista importante na mexicana Homex, referência mundial em habitação popular - ele entrou no negócio em 1999, vendeu no ano passado e há boatos de que estaria voltando. A sua parte na Tenda foi comprada na Bolsa dos antigos controladores, que agora têm 15% da companhia.O programa do governo fará do Brasil um dos melhores lugares do mundo para investir nesse segmento. "O País tem massa crítica", diz o presidente da Tenda, Carlos Trostli. "A entrada de Sam Zell traz credibilidade para nós e é uma boa oportunidade de negócios para eles", diz Trostli. A EI terá assento no Conselho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.