Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Samarco chega a acordo para licença com redução do salário

Funcionários da mineradora aceitam proposta de licença remunerada; detalhes ainda serão definidos

Raquel Massote, da Agência Estado,

25 de maio de 2009 | 16h38

Os funcionários da Samarco Mineração aprovaram em assembleias realizada ao longo da semana passada a proposta da companhia de conceder licença remunerada, com 50% de redução do salário base, que atualmente é de R$ 850. De acordo com informações divulgadas pela mineradora, a empresa poderá utilizar a licença pelos próximos quatro meses e renovar o acordo automaticamente por mais quatro.

 

Veja também:

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise 

 

Conforme a empresa, a proposta apresentada aos sindicatos e aprovada pelos empregados permite que a Samarco coloque em licença o número de empregados que considerar adequado. A companhia enfatizou, porém, que a ideia é de que os empregados não saiam de licença por mais de 30 dias consecutivos.

 

A companhia informou que terá a prerrogativa de conceder a licença para até 100% do seu quadro de pessoal. Entretanto, as licenças serão concedidas parcialmente, pois a empresa continua operando com parte da sua capacidade. As estimativas são de que a mineradora opere este ano com dois terços da capacidade instalada, ou o equivalente a 14,7 milhões de toneladas de pelotas de minério de ferro.

 

A definição final sobre o número de empregados a sair de licença e do tempo total a ser concedido para cada pessoa, conforme a mineradora, dependerá de uma análise a ser realizada pela empresa, com base nas atividades em andamento. Segundo a Samarco, a concessão da licença será feita de forma escalonada, sendo que parte dos empregados sairá de licença remunerada a partir de junho. Os demais sairão em julho, agosto e setembro.

 

A proposta foi negociada pelos sindicatos da categoria e obteve 95% de aceitação em Ubu, no Espírito Santo e 91% de aceitação em Germano, Minas Gerais. Entre os demais itens da proposta aprovada pelos empregados estão garantia de emprego para os empregados do nível técnico-operacional durante o período de vigência da licença, salvo dispensa por justa causa.

 

Os empregados que estiverem de licença terão adiados, durante o período, os descontos no plano de habitação e de previdência privada, bem como os descontos referentes à Assistência Médica Supletiva e empréstimo de férias. O empregado que não quiser sair de licença remunerada poderá solicitar à empresa que promova o seu desligamento sem justa causa.

Tudo o que sabemos sobre:
crise financeiraempresasemprego

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.