Samarco estende paralisação de duas usinas até 31 de março

Companhia diz que medida é em função da fraca demanda por pelotas de minério de ferro, causada pela crise

Raquel Massote, da Agência Estado

20 de janeiro de 2009 | 18h34

A Samarco informou nesta terça-feira, 20, por meio de comunicado à imprensa, que em função da fraca demanda por pelotas de minério de ferro, causada pela crise financeira internacional, decidiu estender a paralisação de duas das três usinas de pelotização até o dia 31 de março deste ano. As unidades, localizadas no Espírito Santo estão inativas, segundo a empresa, desde o final de novembro de 2008.   Veja também: Desemprego, a terceira fase da crise financeira global De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise     Após o período de paralisação de produção, a companhia pretende reavaliar a demanda pelos seus produtos. Conforme a Samarco, a terceira usina, também no Espírito Santo, que entrou em operação em junho de 2008, permanecerá em funcionamento neste período, após passar por uma manutenção preventiva programada para as próximas três semanas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.