Samcil: problemas com rede credenciada

A administradora de empresas Regina Zanke, de 29 anos, enfrenta dificuldades para utilizar a rede credenciada desde que os planos de saúde da Unicór passaram a ser administrados pela Samcil no meio do ano. Com a mudança, a rede credenciada no ABC diminuiu, e ela e sua mãe, Laide Zanke, que moram em São Bernardo do Campo, têm de ir até São Paulo para se consultar. Agora ela tenta ampliar a rede de cobertura do plano de sua mão para as duas cidades. "Não dá para minha mãe ir a São Paulo toda vez que precisa fazer um exame", reclama Regina.De acordo com um vendedor da Samcil que conversou com a reportagem do Estado, a empresa oferece planos com redes credenciadas só no ABC, só na capital ou em ambos. Mas para Regina, a Samcil insiste que ela tem de escolher entre a rede de São Paulo ou a do ABC. Regina tentou negociar com a Samcil. Sem acordo, procurou o Procon de São Bernardo em agosto e ainda não resolveu o problema. "Se não puder mudar para um plano com rede maior no ABC, quero pagar menos."O plano de Laide custa R$ 298,77 por mês. Segundo um vendedor informou, plano igual feito diretamente com a Samcil para uma pessoa de 62 anos, idade de Laide, com cobertura no ABC e em São Paulo, custa R$ 166,01. A Samcil concorda em reduzir a mensalidade, mas ainda não respondeu quanto à alteração da abrangência do plano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.