Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Samuel Klein distribui ações da Viavarejo para filhos e netos

O principal motivo da nova composição foi a proximidade do aniversário de 90 anos do patriarca

Vanessa Stecanella, O Estado de S.Paulo

11 de setembro de 2013 | 02h13

Depois de Abilio Diniz renunciar ao cargo de presidente do conselho de administração do Grupo Pão de Açúcar, na semana passada, e deixar a companhia fundada por seu pai há 65 anos, agora é a vez de Samuel Klein anunciar que não detém mais ações da Viavarejo, holding que administra Nova Pontocom, Ponto Frio e Casas Bahia, controlada pelo GPA.

O fundador da Casas Bahia distribuiu todas as suas ações na Viavarejo para filhos e netos. Segundo a assessoria de imprensa da família Klein, o principal motivo da nova composição foi a proximidade do aniversário de 90 anos do patriarca, em novembro deste ano.

Samuel Klein vendeu o controle da Casas Bahia para o Grupo Pão de Açúcar em 2009. A Casas Bahia foi fundada em 1957, cinco anos após o polonês Samuel Klein se estabelecer em São Caetano do Sul, Grande ABC Paulista. O nome da primeira loja "Casa Bahia" foi uma homenagem aos migrantes nordestinos e principais clientes que se deslocaram para a região em busca de trabalho na indústria automobilística.

No documento enviado ontem à Comissão de Valores Mobiliários, consta que Samuel Klein e seu filho Michael transferiram suas ações na empresa para sociedades limitadas do Grupo Casas Bahia, na Nova Zelândia.

Apesar da reestruturação, as fatias distribuídas em empresas que concentram os negócios da família continuam a somar 47% do capital da Viavarejo. O Grupo Pão de Açúcar detém 52,4% do capital social da empresa e 0,6% está em circulação no mercado.

Apesar da mudança, a família Klein mantém intenção de vender parte de suas ações. Em 13 de maio, a família solicitou a oferta pública de ações da Viavarejo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.