Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Samuel Pessôa, pesquisador do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV)

DILMA

O Estado de S. Paulo

16 de abril de 2016 | 23h59

‘Será um 3º mandato de Lula’

“Num primeiro momento, os mercados vão reagir mal. A bolsa cai. O câmbio desvaloriza. As pessoas vão vender Brasil. Hoje, uma parte grande das pessoas acha que haverá transição e se o impeachment não ocorrer, os preços vão reverter. Depois, não me parece que aí vamos ter um governo da Dilma. Vamos ter o terceiro mandato do presidente Lula. Ele não vai dobrar a aposta na irresponsabilidade fiscal. Vai tentar arrumar a casa do jeito que dá. O discurso para a base tem sido ‘vamos dar mais crédito’, ‘fazer gastos’, mas não acho que vai fazer isso. Mas dificilmente conseguirá avançar no que importa, nas reformas. Vai fazer muito pouco.”

TEMER

‘A lua de mel será curta’

“Vamos ter é um ganho de expectativa, com uma lua de mel do mercado com o Temer. Aí, talvez seja possível que ele consiga aprovar uma CPMF, para dar uma respirada. Mas vamos ter de ver a dinâmica da política. A grande dúvida é qual o espaço legislativo que ele terá para arrumar a casa. Lá atrás, na hora que o Joaquim Levy assumiu a Fazenda, os mercados precificaram a favor, os preços melhoraram, as coisas melhoraram, mas em agosto, quando ficou claro que nada mudava, tudo voltou. No caso do Congresso, sou muito cético. Temos de esperar. Se Temer não tiver espaço para fazer muito, lá por 2017 a ficha do mercado cai.”

Tudo o que sabemos sobre:
BrasilLulaJoaquim Levy

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.