Santa Catarina recupera R$ 10 mi em ativos da Telebrás

Uma Auditoria Geral da Secretaria Estadual da Fazenda (SEF) de Santa Catarina constatou que o Estado pode receber até R$ 10 milhões em ativos, considerando o valor atual de mercado das ações, de empresas oriundas da privatização do Sistema Telebrás, em 1998. Segundo a assessoria de comunicação da SEF, "quando as auditorias nestas empresas estiverem concluídas, o governo poderá leiloá-los ou permanecer com os títulos e garantir seus rendimentos".As informações foram prestadas pelo Banco Bradesco, que administra os títulos da Brasil Telecom S.A. A Secretaria destaca que já teriam sido identificados cerca de R$ 2,5 milhões em ativos a receber. Além disso, de acordo com a SEF, verificou-se a existência de dividendos e juros sobre capital próprio retidos, que ultrapassam R$ 200 mil.De acordo com o diretor de Auditoria Geral, Francisco Pinheiro, o retorno mais rápido aos cofres públicos seria a venda. "Apenas os títulos já identificados deram um rendimento de R$ 200 mil no ano passado, montante que o Estado pretende resgatar. São valores significativos que passaremos a arrecadar", diz o diretor, acrescentando que já está sendo providenciada a atualização cadastral junto ao Banco para receber esses recursos.Inicialmente, foram levantados mais de 700 CNPJ de possíveis Órgãos e Entidades, inclusive extintos, que poderiam ser titulares destes ativos e encaminhados ofícios para as instituições financeiras que custodiam os mesmos. A secretaria da Fazenda ainda aguarda informações do Banco do Brasil, Banco Itaú e do Banco ABN AMRO REAL para completar o levantamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.