seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Santander melhora compensação por perdas com Madoff

Maior banco da zona do euro oferece uma série de incentivos para que os melhores clientes assinem o acordo

Danielle Chaves, da Agência Estado,

16 de fevereiro de 2009 | 18h12

O espanhol Banco Santander, o maior da zona do euro em valor de mercado, revisou um acordo de compensação para clientes de private banking selecionados que perderam dinheiro com o esquema de pirâmide de Bernard J. Madoff, segundo o Wall Street Journal, que citou pessoas próximas ao assunto. Em um esforço para solucionar a questão, representantes do banco têm oferecido secretamente uma série de incentivos para que os melhores clientes do banco assinem o acordo.   Veja também: Entenda o esquema de pirâmide financeira realizado por Madoff De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise    Para alguns clientes ricos, está sendo dada a possibilidade de uso das ações preferenciais - oferecidas como parte do plano de compensação apresentado em janeiro pelo banco - como colateral para um empréstimo com 3% de juro anual. O empréstimo, que pode somar 85% do investimento original dos clientes nos fundos de Madoff, pode ser tomado pelos clientes em dinheiro ou reinvestido em bônus que pagam 6% de juros, de acordo com os investidores que receberam a oferta revisada.   Além disso, o Santander enviou uma carta para os clientes afetados pelo esquema de Madoff dizendo que eles não precisarão manter suas contas no banco para que sejam elegíveis para receber de volta seus investimentos na forma de ações preferenciais da instituição. As fontes afirmam também que cerca de três quartos dos clientes já assinaram a oferta e que o banco espera que a maioria deles concorde com os termos da compensação até o fim deste mês.   Um porta-voz do Santander, no entanto, afirmou que a oferta original feita pelo banco em janeiro não é negociável. "A oferta é muito atraente para os clientes e não vai mudar", declarou o porta-voz.   Em janeiro, o Santander se tornou o primeiro banco - e até agora o único - a se oferecer para devolver o dinheiro perdido por clientes com a fraude de Madoff. O banco afirmou que dará às vítimas o valor de seus investimentos originais na forma de ações preferenciais que pagarão juros anuais de 2%. Mas advogados que representam alguns clientes afetados consideraram a oferta inadequada.   O Santander possui a maior exposição aos fundos de Madoff entre os bancos comerciais. Seus clientes tinham € 2,33 bilhões (US$ 2,97 bilhões) investidos por meio de seu fundo de hedge com sede em Genebra, o Optimal Investment Services. Cerca de 70% dos clientes do Santander afetados estão na América Latina. Muitos deles controlam companhias com as quais o banco possui relações comerciais, o que gera preocupações de que possam romper os negócios com a instituição. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
MadoffSantander

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.