Santander pode captar US$ 2,6 bi com venda de 8% da filial no Brasil

Se venda realmente ocorrer, participação do banco espanhol na subsidiária brasileira deve cair para 73,9%

ALTAMIRO SILVA JUNIOR, O Estado de S.Paulo

18 de novembro de 2011 | 03h07

O grupo Santander, maior banco da Espanha, pode vender ações de sua subsidária no Brasil e conseguir até US$ 2,6 bilhões com a operação, de acordo com prospecto arquivado na Securities and Exchange Comission (SEC, o órgão regulador do mercado de capitais dos Estados Unidos) e disponível na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A venda equivaleria a 8,2% do capital do Santander Brasil.

Os acionistas vendedores são todos empresas do grupo espanhol. Um deles é a GES (Grupo Empresarial Santander), com sede em Madri. Outro é o Banco Madesant, que detém 29,7 milhões de ADSs (American Depositary Shares) da subsidiária.

Segundo o documento, a venda poderá ocorrer sob a forma de ADS, nos EUA. Como deve ocorrer fora do Brasil, a operação não precisa de registro na CVM. Se a venda for ocorrer por meio de "units" (recibos de ações do banco), há a necessidade de registro, destaca o prospecto do grupo.

Na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), as ações do banco espanhol caíram 4,56% no pregão de ontem, pois o mercado interpretou a operação como uma forma de a matriz na Espanha se capitalizar, vendendo papéis da subsidiária brasileira. Procurado pela Agência Estado, o banco não se pronunciou até o fechamento desta edição.

O Banco Santander na Espanha detém, direta e indiretamente, por intermédio de suas subsidiárias, 81,4% do Santander Brasil. Após a oferta, o banco passaria a deter 73,9% da operação, de acordo com o documento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.