Santander poderá vender ativos no Chile e Europa

O banco Santander Central Hispano (BSCH) poderá vender alguns de seus ativos na Europa e no Chile para cumprir com os parâmetros financeiros estabelecidos pelo Banco da Espanha para que ele possa sustentar os seus fortes investimentos na América Latina, "principalmente no instável Brasil", informou o jornal El País no final de semana. Entre os negócios que poderão ser vendidos pelo banco espanhol estão parte da participação de 8,05% que ele mantém no Royal Bank of Scotland (RBS), que é o seu principal parceiro estratégico. Além disso, o BSCH estuda a possibilidade de vender parte de sua participação em empresas. Atualmente, o BSCH mantém participações nas empresas Cepsa, Unión Fenosa, Antena 3 e San Paulo di Torino. Segundo o diário espanhol, ao reforçar o seu caixa, a proporção dos recursos do banco em relação aos seus riscos assumidos subiriam dos atuais 10,86% para 12%. Com essa estratégia, o banco também não teria necessidade reduzir seus dividendos em 2003. BrasilO El País salientou que o BSCH solicitou a alguns bancos de investimentos estudos sobre a possibilidade de venda de parte de suas ações no RBS, que é britânico. A decisão final depende da situação brasileira mas deverá ocorrer em novembro, por exigência da bolsa de Valores de Londres. As eleições presidenciais em outubro no Brasil e a desvalorização do real "serão questões chaves" para decisão final.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.