Santander recomenda teles, mas com cautela

Apesar de estar mais otimista com o segmento de telecomunicações agora do que no trimestre anterior, o banco Santander Central Hispano faz um alerta para o cenário atual, que é afetado pela crise externa, pelo racionamento elétrico no Brasil e pela instabilidade do real. "Nós recomendamos apenas poucos nomes do setor", diz o analista Eduardo de La Peña. Além de analisar Telemar, Brasil Telecom, Embratel, Telesp Celular, Tele Celular Sul e Telemig Celular, a instituição começa a acompanhar mais quatro celulares: Tele Nordeste, Tele Norte, Tele Centro Oeste e Tele Leste. La Peña diz que, apesar da queda média de 16,3% verificada nos preços das ações do setor, suas projeções não indicam nenhum valor atrativo em termos de fundamentos que o leve a recomendar compra para os novos papéis. Ele lembra que essas empresas devem começar em breve a enfrentar a forte concorrência da Telemar no setor móvel. O Santander tem preço-alvo de US$ 30,90 por ADR (American Depositary Receipt, certificado emitido por bancos norte-americanos que representa ações de uma empresa fora dos Estados Unidos) da Tele Nordeste Celular (TNC) para o fim do ano. Baseado nisso, o banco acredita em uma desvalorização destas ações em 5,2% em comparação com os níveis atuais. "Isto se apenas considerarmos suas próprias operações", lembra. A instituição inicia a cobertura da empresa com recomendação de desempenho abaixo do Ibovespa. As outras três companhias analisadas - Tele Norte (TN), Tele Centro Oeste (TCO) e Tele Leste (TLC) - têm sido negociadas como potenciais alvos de consolidação. "Todavia, nós não acreditamos que os acionistas minoritários possam receber os benefícios em nenhum dos três casos." O analista inicia a recomendação das ações da TLC com recomendação de desempenho abaixo do Ibovespa. Já os papéis da TNC e da TCO receberam a recomendação de manutenção em carteira. Telefonia fixaNo segmento de telefonia fixa, a Telemar continua a ser uma das companhias preferidas pelo Santander. "O nosso preço-alvo para o final de 2001 é de US$ 28,67, um potencial de alta de 71% em relação aos níveis atuais", considera o analista. O Santander mantém a recomendação de compra das ações da companhia. No caso da Brasil Telecom, "o imbróglio entre os controladores Opportunity e Telecom Italia é crítico, podendo definir a direção futura destes papéis", afirma. A recomendação é de compra pois a instituição espera que a briga entre os controladores termine com a Telecom Italia comprando a parte que o Opportunity detém na companhia. Para a Embratel, o banco acredita que, a longo prazo, ela pode perder 50% de sua fatia do mercado no segmento inter-regional no próximo ano. O Santander mantém a recomendação de "manter" os papéis da operadora em carteira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.