Zeca Wittner/Estadão
Zeca Wittner/Estadão

balanço

Ouro é o investimento com melhor retorno no 1º semestre. Bolsa, o pior

Santander aumenta para 90% valor financiado do imóvel

Banco divulgou nesta terça-feira, 7, ação que reduz pela metade o valor de entrada de financiamentos imobiliários

Talita Nascimento e Renato Jakitas, O Estado de S.Paulo

07 de janeiro de 2020 | 16h54
Atualizado 07 de janeiro de 2020 | 18h02

Em um sinal de que a disputa por clientes deve ir para além da taxa do financiamento para casa própria,  o banco Santander anunciou que passou a financiar 90% do valor total dos imóvel em suas linhas de crédito imobiliário. O limite dos contratos era, até então, de 80%. A mudança, comunicada ao mercado nesta terça-feira, 7, já era oferecida aos tomadores pelo menos desde dezembro de 2019. 

“Os clientes têm tirado os sonhos da gaveta. Em tempos de recessão, é muito difícil que as pessoas tomem decisões e a compra de um imóvel é uma das decisões mais importantes que elas fazem na vida”, diz o superintendente executivo de Negócios Imobiliários do Santander, Paulo Duailibi.

Ele explica que o aquecimento do setor com a redução da taxa básica de juros, redução de estoques e novos lançamentos contribui para a competição dos bancos em busca de clientes. “O crédito imobiliário significa um relacionamento longo com aquele cliente. É muito interessante para essas instituições”, diz.

De fato, a corrida nessa modalidade de crédito vem acirrada desde o último ano. A Caixa Econômica Federal, líder nesse tipo de financiamento, anunciou três reduções de taxas em 2019, chegando 6,5% ao ano em dezembro. Os bancos privados também anunciaram reduções e promoções.

No caso do Santander, na época da Black Friday os clientes contaram com seis meses de carência para o pagamento do valor principal e dos juros. “Devemos voltar dentro de algum tempo com essa ação de forma permanente”, diz Duailibi.

Concorrência

Além do Santander, quem já faz alguns contratos de financiamento com cobertura de até 90% do valor dos imóveis é o Bradesco. Segundo Rafael Sasso, do site Melhor Taxa, que monitora os contratos de financiamento assinados pelos principais bancos do mercado, ampliar de 80% para 90% a cobertura dos financiamentos deve ser uma tendência no novo expectro de concorrência do setor. "Os bancos estão se preparando para uma alta importante esperada na demanda por crédito imobiliário", afirma Sasso.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.