Divulgação/Emater MG
Divulgação/Emater MG

São Félix do Xingu, no Pará, tem maior rebanho bovino do País

Município tem 2,213 milhões de cabeças, 1% do total nacional, segundo dados do IBGE

Idiana Tomazelli, O Estado de S. Paulo

08 de outubro de 2015 | 10h00

RIO - O município de São Félix do Xingu, no Pará, liderou o ranking brasileiro em termos de rebanho bovino em 2014. O efetivo chegou a 2,213 milhões de cabeças, 1% do total nacional, segundo dados da pesquisa Produção da Pecuária Municipal (PPM) referente ao ano passado. As informações foram divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na sequência, os maiores rebanhos foram vistos em Corumbá, com 1,761 milhão de cabeças, e em Ribas do Rio Preto, com 1,099 milhão. Ambos os municípios estão localizados no Mato Grosso do Sul.

Segundo o IBGE, entre os 20 municípios com os maiores efetivos bovinos, 11 estão no Centro-Oeste, seis no Norte e apenas dois ficam na região Sul. Não à toa, o Centro-Oeste é a principal região produtora, responsável por 33,5% do gado nacional, com 71,234 milhões de cabeças.

Ao todo, o rebanho bovino brasileiro chegou a 212,343 milhões em 2014, avanço de 0,3% em relação a 2013. O resultado superou o crescimento de 0,2% ante 2012. "Com isso, o Brasil manteve-se como segundo colocado no ranking mundial, atrás apenas da Índia", destacou o IBGE.

Mais da metade (54%) de todo o efetivo estava concentrada em cinco estados: Mato Grosso (líder com 28,592 milhões de cabeças, 13,5% do gado nacional), Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul e Pará.

Do rebanho de bovinos em 2014, 10,9% foram de vacas ordenhadas, aumento de 0,7% ante 2013. As maiores participações no total nacional ficaram com as regiões Sudeste (34,3%) e Nordeste (20,5%) e, em termos estaduais, com Minas Gerais (25,1%), Goiás (11,7%) e Bahia (8,9%). Com o resultado, o Brasil ocupou a segunda posição mundial em relação ao efetivo de vacas ordenhadas, ficando atrás apenas da Índia, destacou o IBGE.

Tudo o que sabemos sobre:
boisrebanhoagropecuária

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.