Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

São Paulo adota modelo misto na concessão de estradas

A disputa pela menor tarifa de pedágio é uma das principais mudanças do novo modelo adotado pelo governo paulista na concessão do trecho Oeste do Rodoanel. Segundo o governador José Serra (PSDB), o modelo a ser adotado na concessão dos 32 quilômetros desse trecho do Rodoanel será misto, com outorga fixa de R$ 2 bilhões para pagamento em dois anos, investimentos de R$ 804 milhões para melhorias nesse trecho, prazo de concessão de 30 anos e teto do pedágio de R$ 3,00. "A disputa entre os concorrentes se dará pela menor tarifa, o que vai beneficiar diretamente os usuários", disse Serra. A cobrança de pedágio ocorrerá a partir do final de 2008.Depois da discussão originada no recente leilão de rodovias federais, com pedágios bem mais em conta e sem cobrança de outorga, o governo de São Paulo resolveu alterar o seu modelo de concessão e buscar também preços mais competitivos para os pedágios nas rodovias paulistas. O modelo a ser adotado no Rodoanel será o de bloqueio de saída, ou seja, a tarifa é cobrada na saída das rodovias e impede que os usuários possam cortar caminho pelas cidades e fugir da cobrança. De acordo com o governador, este modelo vai favorecer os caminhoneiros. "Pensamos no caminhão, por causa do impacto que eventualmente teria (o pedágio) e fizemos um sistema que vai permitir que os caminhões que cruzem o Rodoanel inteiro paguem menos", destacou.Questionado se este modelo misto (outorga e teto para pedágio) também ser utilizado nas outras concessões rodoviárias do Estado, o governador afirmou: "Cada caso é um caso, porque depende do que é que tem de fazer, se tem uma estrada com muita coisa para fazer, a outorga será menor. O Rodoanel, com o trecho Oeste já pronto, não tem tanta coisa para fazer." E complementou que daqui para a frente, o Estado vai privilegiar pedágios mais baratos, mas sem abrir mão da outorga. "Esse modelo é diferente do adotado pelo governo federal, nós passamos a estrada, mas cobramos da empresa privada uma outorga e com esse dinheiro fazemos mais estradas."AdvertênciaSerra disse que o edital do trecho Oeste será publicado no mês que vem. E acabou dando um puxão de orelha, em público, em sua equipe de governo, cobrando mais agilidade na execução das medidas. "Em janeiro (mês em que tomou posse no Palácio dos Bandeirantes) eu determinei a concessão do trecho Oeste do Rodoanel, já estamos no final de novembro e ainda não conseguimos soltar o edital. Vou anunciar hoje as condições (da modelagem), mas a minha surpresa maior é que o edital só vai sair em dezembro. Para mim é um mistério, se hoje está tudo pronto, por que não sai, hein Luna (Francisco Luna, secretário de Planejamento), amanhã ou depois de amanhã? Isso é tudo parte de um ritual, sem falar no ritual legal, de audiência pública e todas essas coisas." O secretário do Planejamento também estava presente ao evento.

ELIZABETH LOPES E ANNE WARTH, Agencia Estado

13 de novembro de 2007 | 17h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.